sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Uma visão Negra: O ilusionista e o lado negro da força. parte 2


Estava vingado... porém ainda não saciado


Precisava sair de lá o mais rápido que pudesse
Retornar a Amestris e voltar a minha rotina...

No entanto aquele Gnomo podia ser um grande problema. Ou de certa forma poderia se tornar uma ferramenta para minha entrada na Ordem dos Altos Arcanos.

talvez tudo isto seja uma trama do grande Vecna para me testar...

Plínio estava morto, e eu, como seu unico aprendiz vivo tinha que continuar seu trabalho...


Ao descer as escadas encontrei a confusão terminada... Resolvi deixar meus companheiros na taverna e sair o mais rapido possivel daquele lugar...

Ao sair da espelunca, dei de cara com o Meio Orc Bebado e seus companheiros...

Consegui iludi-los e sair de lá...

Tudo correu bem até o dia de seguir viagem.

Uma dragonesa seria nosso transporte.. e ela não gostou de mim (por que teria sido?)

Pois bem.. Não quis voar num bicho q nunca tinha visto na minha vida e que ainda por cima não gostou de mim...

me transformei num Avariel(elfo alado) mediante um efeito de transmutação...
No entanto por mais que eu me esforçasse não pude seguir a aberração escamosa e me perdi...

Resumo da historia... fui preso novamente e levado para Melodia... direto para uma prisão
Privado de meu grimório, bolsa de componentes e de Nepherites... minha prezada cobra familiar.

Por sorte, prevendo que seria preso, eu havia preparado magias que não necessitavam de componentes materiais e que me permitiriam alguma possibilidade de fuga da prisão.


O lugar mais parecia um horfanato salesiano do que de fato uma prisão...

Trabalhava-se no campo durante o dia, e assistia-se palestras sobre ordem e bons costumes a noite...

a agua que serviam tirava-nos a vontade própria.. apesar de revigorar nossos corpos.

Passei uma noite naquele inferno...

quando encontrei outro mago.

Juntos orquestramos uma fuga... eu fugi pelos céus.. ele pelo subterrâneo.
Marcamos de nos encontrar nas montanhas no fim da tarde e seguir para Heliopolis ou para a Cidade de Azuth(eca)

Mas antes eu tinha que recuperar meus itens... e já sabia como

Voei por toda a cidade como Avariel... esperei amanhecer o dia e me transformei no mago ilusionista que tinha me abrigado dias atrás.
eu ficara sabendo que ele era o responsável pela prisão...

Com a forma dele convenci um dos guardas a me trazer meus itens de volta... No entanto tive que abandonar meu familiar.

Não conseguiria recuperar Nepherites a tempo...

deixei a cidade e Rumei para as montanhas.
O outro fugitivo me esperava lá. Rumamos para Cidade de Azuth.

Não sei como, meus companheiros me encontraram...

com eles retornei a Sigilo.

No entanto, alguem nos esperava.
ao passar-mos pelo portal uma dor aguda dentro de nossas cabeças nos atingiu.

A dor (e o goliath) nos "guiou" até um casebre abandonado, onde um Gato e um "Livro falante" nos esperavam...

Quando a dor passou e eu recuperei meu raciocínio, vi que um ser estranho estava ao nosso lado.
Aparentemente um Druida.. com olhos vermelhos e uma aparencia meio perturbada também tinha sido afetado pela dor e tambéi foi guiado até o casebre.

Resumidamente
Fomos "contratados" pelo gato e pelo livro para escoltar uma Cleriga de Hannur até uma localidade de Amestris...

Saimos do casebre em busca da garota...
e entramos na fatídica Taverna do Unicornio Saltitante...

Continua..

Um comentário:

Meu Nome É Tonho disse...

Pode deixar que eu continuo: E na taverna do Unicórnio Saltitante, Filial Sigilo (até agora ninguém notou que todas as tavernas tem o mesmo nome?), eu descobri que não devemos interromper o relaxamento de um Devorador de Mentes.

Nunca.

Follow the New World Order

Follow the New World Order
Follow the New World Order