terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Pequenos Relatos de um Bárbaro (ou Bárbaros Relatos de um Pequeno) - Parte 3 - Igual à Gororoba que Mamãe Fazia


A última coisa que me lembro depois de sairmos daquele muro/masmorra foi de ser alvejado por flechas e ficar correndo pelo campo feito uma barata tonta, o fato de estar fatigado por ter entrado em fúria para abrir a porcaria da porta acabou me tornando um alvo fácil, fui atingido e por já estar bastante ferido (geléias ácidas + buracos dos nove infernos + joaninhas amarelas atrozes picadoras de bunda) caí com uma única flechada.

A próxima coisa que me lembro foi acordar na enfer-qualquer-coisa da prisão (esse povo "da cidade" já gosta de nome difícil), falei com o Anaxus (não consigo dizer aquela bexiga de nome dele, então vou chamá-lo assim) e fui levado para a cela, o guarda perguntou se eu ia entrar na cela por bem ou por mal, eu até me empolguei pra um pelejinha amistosa =) mas o frouxo já foi logo puxando a espada =(

Acabei notando que o Legolas, nosso elfo de estimação, estava numa cela com uns cinqüenta caras, se fosse um amigo halfling eu ficaria preocupado, mas os elfos devem estar acostumados com essas coisas.

Foi então que vivi um dos melhores momentos desde que cheguei nessa cidade dos nove infernos, a hora da bóia =P tinha um monte de cereal misturado com carne-de-origem-duvidosa e água, formando uma cremosa e nutritiva gororoba, quando coloquei na boca, meus olhos lacrimejaram (essa palavra foi colocada pelo escriba, nem sei o que é), era igualzinha à gororoba da mamãe =')

Meus amigos voltaram e conseguiram nos libertar, mas fiquei sem meu machado e sem minha armadura =X estou agora com uma "clava grande pequena" (não faz muito estrago, mas dá pra rachar cabeça, então serve) e uma armadura de couro furreca.

Agora o povo vai decidir o que fazer, eu não ligo se vamos pra um lado ou pro outro, desde que eu tenha alguma cabeça pra rachar, é sério, tô com saudade de rachar cabeças =( tudo que tenho feito é arrombar porta, cair em buraco, escalar buraco, bater em joaninha, queimar geléia, ALGUÉM ME DÊ UMA CABEÇA PRA RACHAR =O

2 comentários:

Meu Nome É Tonho disse...

Pô, intertrepar bárbaro é muito fácil! É só bater, bater, e quando fica fatigado, bater mais!

Mas eu tô ligado que a foto foi do dia que tu ficou sozinho em casa e tentou cozinhar.

Pele-de-Escama disse...

Saudações cordiais, camaradas.

Mas hein??? Quer dizer que foi ISSO que eu cozinhei com a minha incrível habilidade culinária +6??? Ceeerto, com certeza tamanha "lavagem" foi o melhor que consegui com os ingredientes de terceira qualidade que StormPort envia ao forte-prisão. Da próxima vez, só por garantia, vou usar minha panela +1 de preparar grude e minha concha +2 de fazer tutu!!!

Bom, como no final das contas a fome é o melhor tempero e a aparência do prato somente um detalhe, o sabor da gororoba especial n°47 em homenagem a Yondalla ficou tão bom que chegou a emocionar o brutamontes do Konan, que por alguns minutos voltou a infância ao recordar da papinha de tripa de javali que a sua mãe preparava.

Pra finalizar, gostei do relato, Renato! Resumiu bem a sessão. Eu compreendo a agonia que deve ser prum lutador não rolar um D20 pra pelejar numa sessão!

Até breve.

Follow the New World Order

Follow the New World Order
Follow the New World Order