segunda-feira, 27 de julho de 2009

Backgroud dos Braceletes de Thor

Na primeira noite de solstício de verão, fui enviado a minha 1° missão no MI6 em campo para espionar um magnata da indústria do petróleo que havia fechado um acordo multimilionário com a Star Conection Segurança. Vesti-me a caráter e fui à festa nos jardins de Buckingham. Como um dos 'garçons' servi a nata da sociedade inglesa nesta noite de artistas a políticos inclusive a 'Grande Mãe'. A minha missão era botar um grampo no Hamor Al Kaeja, com um leve descuido derramando uns copos vazios próximo ao individuo pude grampeá-lo.

O sinalizador me enviou para uma chácara nas montanhas Escocesas, onde um grupo de humanos estava sendo escravizado para retirar das montanhas um tipo de Diamante muito brilhante. Ao entrar em contato com o departamento na mata, achando que estava sendo discreto, fui pego por um grupo de batedores que estavam nas redondezas um grupo de humanos muito fortes.

Na prisão, pensando na merda que correra cheguei a achar que um lobo tentou me avisar do grupo que estava atrás de mim. Me fingi de morto, quando um guarda veio ver o que se assucedera agi rapidamente e lhe derrubei no chão nos engalfiamos e quebrei seu pescoço durante a luta arrastei o corpo até uma sala que lembrava um almoxarifado, ao ver aquele homem morto me veio as noites no Afeganistão e meus amigos morrendo ao meu lado, tremulo com o que ocorrera procurei a saída mais próxima foi quando ouvi um
‘psiu, anda logo por aqui’ segui a voz que me conduzia para fora do QG inimigo.

Ao chegar à mata a voz me levou até uma caverna próxima da mina de Diamantes. A noite cairá rápido e sobre a luz da lua um lobo que parecera sair de um filme de terror chega próximo e diz
‘como estas’. Pego uma pedra assustado e a ergo contra tal criatura ‘não tenha medo, sou seu guardião enviado por vosso pai o grande DEUS de TODOS os Deuses para cuidar de ti e lhe revelar o que esta acontecendo em sua volta’ ao terminar a frase acabei desmaiando.

Acordo com uma gata me dando um baita bj, na realidade era um sonho um lobo estava a me lamber, e a continuar a falar ‘Você é filho de ODIN’ tentei gritar mais o lobo não deixou,
‘me chamo Zigfrid e vc esta enfrentando um descendente do que no passado era seu avó o titã Yon, eles estão escavando uma mina de gemas trovão estas gemas deram origem a espada e a armadura de vosso pai’
- ‘bem então eu sou um semi-deus?’
- ‘Todos dizem isto, na realidade vc é um scion e seu pai esta precisando de sua ajuda neste momento, debaixo desta mina esta enterrado um gigante de gelo muito poderoso e vc precisa dete-lo, já que o crid esta sendo ajudado por harpias’
- ‘Então todos os mitos dos contos de fadas resolveram acabar com o mundo’

Neste momento o espírito de Dean meu “irmão” no Afeganistão passa pelo túnel ‘o mundo inferior esta cheio para onde eu vou?’ e some no fim da caverna, então Zigfrid diz,
- ‘este é o grande pró seu pai esta numa guerra no mundo inferior e não pode sair para cuidar da humanidade’
‘estamos em guerra contra o mundo mítico?’
- ‘não são mitos são lendas e como tais existiam no passado’
- ‘calma com o andor, então eu vou ser uma agente de Asgard é isto?’
- ‘Sim e não vc será um guerreiro e caçador como seu pai a serviço de Asgard, mais vc terá todos os direitos de um agente 00’
- ‘vou ser um 00? Massa !!! Tenho permissão para matar?’
- “sim desde que seja maligna ou baixas de guerra, fora isto as leis devem ser respeitadas, entendeu?’
- ‘errrr, blz ‘

Partimos para a mina na entrada havia seis integrantes, fizemos uma distração e derrubamos os seis. Adentrando na caverna, descemos pelo labirinto, ficamos perdidos por um tempo até encontrarmos uma mulher linda dando ordens para um grupo de escravos,
- ‘finalmente cria de Odin chegou’
- ‘pode cair dentro sua opressora’
A mulher cresce e ganha asas enormes e pés de galinha, peguei minhas facas e travamos uma luta que durou a noite inteira já que ela não cansava de voar. Quando ela veio a cansar e pousou saquei a arma de disparei oito tiros atordoada ela desmaiou pulei em cima dela com as facas em punho e arranquei a cabeça dela.

Seu corpo repleto de sangue foi oferecido como oferenda para Odin já que foi uma caça justa.
- ‘Belo gesto garoto mais vou sacrificá-lo para Yon’
Com as facas em punho corri em direção ao Crid que tinha uns 4m já que eu tenho 2m, ele me fez de massa de pão por longas horas.Enquanto estava sendo massacrado vi o lobo fujão sair de fininho. Quando pesei que este seria meu fim, uma caça a um gigante que queria matar meu pai, eu escuto um uivo assustador e Zigfrid aparece com um par de braceletes, forjados em ouro puro com pedras trovão de gemas de rubi com peles de foca acochando-a internamente e runas desenhadas por todo o bracelete, ‘para este sacrifício seu pai lhe mandou um presentinho use suas feridas para ensopar as facas com seu sangue’
‘repita o que eu vou dizer’
“Com as laminas da caça celestial venho a lhe trazer o sacrifício mortal, para os salões de Valhala”
Ao fazer o que Zigfrid pediu as facas ficaram vermelhas e cheias de runas, com uma aura ao redor das laminas. Ao cortar o ar as facas produzem um som que lembra um trovão abrindo o céu. Quando as cravei no Crid, ele urrou de dor e sua feridas deixaram de se fechar, a luta passou a ficar de igual para igual.

Sob o animo da batalha meus cortes começaram a fechar e só apareciam ronchas. Ao cair da noite o Crid havia sido sacrificado em nome de Odin.
- ‘Estes braceletes ao serem usados lhe darão poder com as laminas de curto alcance e a criatura que for abatida por ele terá que oferecida a vosso pai’
- ‘Ele TAM aumentara sua velocidade sem as laminas e intensificará seus golpes a mão livre’
Os humanos foram libertados e o mais engraçado é não se lembravam de nada. Eu e Zigfrid voltamos para Londres onde iniciei minha jornada ao lado de Asgard.

18 comentários:

Anão Picareta disse...

Cara comecei a ler, mas ficou cansativo. Uma sugestão: para ficar mais "amigavél" a leitura, dá uma estruturada nos layouts e estrutura do texto e acrescenta um pouco mais de pontuação.

Parece até que tu escreveu com pressa...

PS: até onde eu li tava bem interessante (lambida do lobo)...

Pele-de-Escama disse...

Poxa, Tibúrcio, ficou muito confuso o histórico, talvez pela falta de uma formatação adequada do texto. Perde um tempinho editando que vai facilitar. No geral, ficou bem interessante.

Como Diogo disse, parece que tu escreveu com pressa, pois a parte mais "trabalhada" (detalhada) é justamente a inicial.

E o nome da relíquia é mesmo Braceletes de Thor? Não seria de Odin?

Pele-de-Escama disse...

Preciso que (mais) uma dúvida seja sanada: ao adquirirmos Lenda 5 e passarmos a Demigods, os pontos de Attribute que receberemos podem ser colocados todos num mesmo atributo?

Ex: atualmente possuo Destreza 4. Quando eu passar a Demigod e receber 4 novos pontos para distribuir posso colocar todos os 4 em Destreza e ficar com Destreza 8 desde então, ou há alguma restrição?

Pelo que li até o momento, o jogo não restringe essa alocação dos pontos, ainda que sugira que a distribuição dos novos pontos (4/3/2) seja diferente do que foi feito em Hero para equilibrar o personagem.

Até breve.

Anão Picareta disse...

Tô sem o demi agora. Quando chegar em casa eu verifico, mas se não me engano a distribuição é livre.

A noite eu posto sobre isso.

PS: vcs tão de sacanagem comigo né? Assim que eu COMECEI a ler o Demigod vcs já começaram a perguntar???
Sacanagem espera eu dar uma lida ao menos!!!
:P

Depois EU sou o apelão...

KKKKK

vei tiba disse...

Foi mal gente é que a historia veio na cabeça e fui escrevendo e me esqueci que era a pag da net e não o office, bem dei uma melhorada, espero que vc's gostem, nos vemos no finds de semana, abraços
ps: angelo concordo com vc vou manerar mais no paço, e se vc me vir falando alto pode dar um tq.

vei tiba disse...

Diogo eu gostaria de comprar um Knack e desnvolvelo durante a batalha para efeitos epicos é possivel?

Anão Picareta disse...

como é? não entendi a tua pergunta...

Meu Nome É Tonho disse...

"Com as lâminas da caça celestial, venho lhe trazer o sacrifício mortal para os salões de Valhala!"

Ficou boa a história.

Anão Picareta disse...

Angelo:

Sim a distribuição dos atributos no Demi é livre podendo focar os pontos adquiridos de maneira livre.

Porém existe 1 ambiguidade no Demi, e as regras dele valem para o Hero (que alias faz referencia) sobre a disposição dos Knacks. Irei verificar isso e posto por aqui.

Esperem algumas regras que criei para bonificar e penalizar a experiencia de voces para as proximas sessões. Em resumo não a limite de pt de experiencia por sessão e eu tiro experiencia por offadas podendo FICAR DEVENDO se for o caso.

T+

Pele-de-Escama disse...

Interessantíssimo e estimulante, Diogo, tua pretenção de não ficar preso aos limites sugeridos pelo livro quanto a experiência, no entanto não concordo com a possibilidade de XP negativo. Pra mim, o mínimo que um jogador deveria receber é 3 XP APENAS POR TER COMPARECIDO A SESSÃO! Assim, não desestimula o jogador a cancelar ou realizar outras atividades para comparecer ao jogo, pois se é pra não receber XP, que diferença faz eu aparecer para jogar?

Porém, é claro que é importante que nós jogadores não nos acostumemos a "offar" durante o jogo, e sempre que isso ocorrer você deve advertir e dizer que havérá penalidades na próxima vez.

Estou curioso sobre a ambiguidade que percebeste no livro. Aproveitando a deixa, quero saber se é possível usar 14 pontos de bônus para imediatamente avançar para Lenda 7.

En Taro Adun!

Pele-de-Escama disse...

Quanto a pergunta que Tibúrcio fez sobre "desenvolver o knack durante a batalha para efeitos épicos" é simplesmente fazer como eu fiz para simbolizar a aquisição do knack Damage Convertion, em que eu (jogador) pedi para você (narrador) considerasse que eu fui ferido durante a fuga (o que seria muito difícil) para representar a conversão de 2 pontos de dano letal em 2 de dano contusivo. Lembra?

Anão Picareta disse...

atençao amigos, ESTOU CONFIMRADO para o jogo no domingo. 12:30 estarei no paço!

Hugo Leonardo disse...

tb to confirmando logo agora minha presença domingo =)

Pele-de-Escama disse...

Estou com um problema familiar que talvez me impeça de jogar amanhã. Entretanto apenas amanhã ao término do meu expediente (12h) terei informação precisa sobre a necessidade de minha assitência no episódio.

Assim, no mais tardar devo estar no Paço às 12h45. Caso eu não possa aparecer ligarei avisando.

Sei que estou sendo um chato quanto a isso, mas queria pedir a colaboração do grupo para que iniciemos mais rapidamente a sessão.

Pele-de-Escama disse...

Como funciona a mecânica das relíquias em relação a sua utilização por alguém que não seja seu dono original? Melhor explicando: os poderes de uma relíquia podem ser canalizados por qualquer um que a tenha em mãos, não é? Mas isso requer algum ritual, tempo, pesquisa, ou o simples de fato de possuí-la em seu poder já habilita seu portador a saber todo seu potencial?

Ex: Zero está em poder da Kontos neste momento. A capacidade de usar os poderes da relíquia surgem instantaneamente em sua mente? Se não, o que é necessário?

Anão Picareta disse...

Caso ele já saiba como a reliquia funciona e os poderes dela ele já pode usar tudo o que ela propõe

Pele-de-Escama disse...

Certo. E quando obtemos relíquias como espólios de guerra de nossos oponentes, como descobrimos seus poderes? Existe algum boon que funcione como a magia "identificação" do D&D? Ou talvez tenhamos que obter sucessos suficientes em ocultismo para tal (Sawyer que o diga!)?

Pretendes escrever ainda hoje o post com as observações/ ambiguidades/etc?

Anão Picareta disse...

Na realidade seria necessário um teste de ocultismo com dificuldade variada, pois depende do poder da reliquia e do nivel de poder do poder único, podendo passar de 8 sucessos trnauqilamente.

Follow the New World Order

Follow the New World Order
Follow the New World Order