segunda-feira, 8 de março de 2010

Histórico de Derek Phylodox III

Para a apreciação de todos.

Chame-o apenas de Phylodox, sempre, a não ser que queira vê-lo irritado. O título em seu nome serve apenas para indicar quantos de seu clã tombaram antes de merecerem lutar no Ragnarök. A honra de tentar novamente só foi concedida por causa da bravura de seus antecessores diante da morte. Enquanto Thor se orgulhar de seus filhos caídos, haverá esperança.

Há 71 anos, quando se iniciava a Segunda Guerra Mundial, o poderoso Thor em pessoa reconheceu a força, destemor e lealdade do clã Phyliandr na Batalha de Murmansk, no extremo noroeste da Rússia. Sem saber que testemunhavam um confronto de semideuses contra um antigo Titan glacial, os membros desse clã, todos humanos normais, lutaram até sua quase total aniquilação contra os Titanspawns que assolavam a cidade enquanto os semideuses tentavam destruir o Titan. Com a tarefa cumprida, o próprio Deus do Trovão surgiu diante dos sobreviventes do clã e convidou-se para o jantar de celebração pela vitória.

Durante os festejos Thor revelou detalhes que destruiriam as mentes enevoadas da grande maioria dos mortais, mas percebeu sem surpresa que todos ali o ouviam com devoção e crença inabaláveis. Pediu então que a mais bela das jovens Phyliandr lhe fizesse companhia naquela noite. Não houve quem se sentisse ofendido com o pedido; na verdade, todos se sentiram extremamente honrados quando a linda Úrsula tornou-se a primeira das três esposas de Thor no clã.

Phylodox tem 16 anos e a missão de vencer onde seus ancestrais falharam. Nascido numa época em que seu clã de guerreiros não mais habitava o noroeste gelado da Rússia, sua rica família passou a viver em Moscou após a queda do antigo regime soviético nos anos 90 e em apenas três anos receberam premiações e o reconhecimento internacional por criarem a melhor academia de artes marciais de todo o país. Práticas, táticas e conhecimentos aperfeiçoados ao longo de centenas de gerações tornaram-se ainda mais letais e precisos quando aceitaram os primeiros instrutores chineses de artes marciais em suas fileiras. Philodox foi o primeiro dos três campeões de Thor a receber este treinamento diferenciado, começando antes mesmo de completar três anos de idade. Aos quatro anos ele se tornou o mais jovem campeão mundial de Karate ao vencer um oponente de sete e aos seis ele não só manteve seus títulos (tricampeão) no Karate como ainda se tornou campeão mundial de Wushu.

Seu despertar se deu quase naturalmente: aos nove anos, numa noite de inverno fria e muito chuvosa, quando todos os membros do clã estavam reunidos numa mansão de campo comemorando os 100 anos de existência do mais velho integrante da família, uma horda de Titanspawns invadiu a propriedade com a declarada intenção de esmagar todos os descendentes dos guerreiros da Batalha de Mursmansk sob seus pés. O líder da horda era um imenso monstro de pele azul metálico sobre a qual singravam errantes pequenas centelhas de eletricidade. Um gigante das tempestades. Certamente uma das crias do Titan destruído há décadas. A batalha que se seguiu durou quase meia hora, terminando numa grande carnificina onde mais uma vez o clã triunfou sobre seus oponentes místicos. Como esperado houve muitas baixas, mas não havia pesar nem lamento, mas a certeza de que este momento chegaria algum dia e que o clã tinha o dever de estar preparado.

Talvez por isso não tenha existido surpresa quando o pequeno Phylodox ergueu-se triunfante sobre o corpo inerte do Gigante das Tempestades. Com seus punhos ele quebrou pouco a pouco as pernas do monstro, até que ele não conseguisse mais permanecer em pé. Quando sua enorme cabeça ficou ao alcance, foi rapidamente trespassada através dos olhos pelos braços da não mais inocente criança.

Os anciões se encarregaram de contar a verdadeira história por trás daquele ataque, pois diferente do ocorrido com seus dois ancestrais, que despertaram em situações similares, naquela ocasião Thor não se revelou ao seu filho. Um anão, que se disse guiado pelo Destino para estar naquele momento naquele lugar foi recebido pelo clã e hospedado em segurança naquela noite maldita. O anão não foi mais visto desde então. Sua missão fora cumprida.

Phylodox recebeu a primeira visita de Thor aos doze anos, quando ele comemorava a manutenção pela oitava vez de seu título de campeão mundial de Karate. Abraçou-o cheio de orgulho e conversou longamente sobre a realidade do mundo (que ele já conhecia), mas desta vez sob seu ponto de vista. Pediu que ele compreendesse o porquê dele ter passado tanto tempo para conhecê-lo e também que não demorasse a seguir seu Destino. Thor mantém um contato mais estreito que o normal com Phylodox, visitando-o duas ou três vezes por ano sem nenhum padrão aparente (nunca apareceu nos seus aniversários, por exemplo) às vezes ficando até mesmo um dia inteiro ao seu lado. Esta proximidade dá um senso de propósito muito grande ao jovem, que entende que seu Pai, assim como ele próprio, não pode desejar viver em paz ao lado de seus familiares. Há uma guerra diferente e muito mais perigosa que qualquer outra realizada pelos mortais em sua insatisfação mesquinha.

Phylodox não foi apenas treinado para ser um guerreiro. Ele nasceu um. E mais que tudo ele deseja ser merecedor de lutar ao lado de seu Pai no Ragnarök.

-x-


Informações complementares para a campanha de Tibúrcio

- Há pouco mais de um mês Phylodox deixou para trás sua bem sucedida carreira de lutador em Moscou e seguiu sozinho para Nova York, obedecendo não a um pedido, mas a uma ORDEM dada pessoalmente por Thor. Odin tivera uma visão profética da metrópole sofrendo uma série de eventos catastróficos nos próximos meses e pediu que seu Filho trabalhasse numa forma de minimizar os efeitos danosos de seu inevitável Destino.

- Vendo nesta uma boa oportunidade de aumentar a experiência de seu filho russo em combates DE VERDADE, o Deus do Trovão o enviou para a cidade americana com dois objetivos básicos: ficar de prontidão para qualquer acontecimento estranho e destruir qualquer inimigo declarado que ameaçasse a metrópole.

- Phylodox não estuda e é um pouco “duro” na língua inglesa, conversando com um sotaque muito forte. Todos os conhecimentos escolares que possui foram ensinados através de "aulas particulares" ministradas pelos seus próprios familiares. Ele passa seus dias treinando duro na única academia de Karate inaugurada por sua família na cidade, há pouco mais de cinco anos. Sua fama internacional tem atraído muitos novos alunos.

- Sua família é rica, mas não muito. De fato, possuem um nível confortável de riqueza apenas porque o clã é extremamente unido, então um ajuda ao outro nas dificuldades. O valor estimado de sua riqueza é de 6 milhões de dólares (15 milhões se considerados os bens como imóveis e propriedades). A maior parte da renda provém das premiações em campeonatos de artes marciais, patrocínio e publicidade dos atletas treinados em suas academias. Dinheiro não é problema para Phylodox, o maior provedor do clã, mas uma tradição familiar de séculos ensina a viver confortável, porém humildemente.

- Apesar de manter contato diariamente com o ramo de sua família que abriu a academia em Nova York, Philodox decidiu morar sozinho num apartamento de classe média, onde poucos sabem que ele é um lutador famoso. Liga todos os finais de semana para sua mãe, pai (“adotivo”) e irmã em Moscou.

4 comentários:

vei tiba disse...

A historia esta excelente, muito boa mesmo, porém as relíquias serão dadas de outra forma que eu gostaria de discutir com vc's. Ficou faltando como ele foi para NY?, até a missão cumprida muito massa. Porém gostaria de saber como ele foi para NY onde ele estuda lá, onde mora com quem mora e seus 'pais' onde estão? Tens herança? seu clã quão rico é, foste estudar devido as lutas? seus irmãos ficaram na Rússia?
As visitas de Thor são sempre próximas a datas climáticas importantes ou a festividades importantes?
abraços
PS: mais 5 xp pela historia e aguardo as modificações.

Pele-de-Escama disse...

Obrigado, meu caro, espero ajudá-lo no desenvolvimento de um ótimo cenário. Farei os ajustes que solicitou logo que possível nesta mesma postagem, editando-a. Avisarei quando concluí-la.

Quanto as Relíquias, deixarei em aberto aguardando tuas futuras orientações. Peço que desconsidere esta passagem (entrega das Relíquias por Thor) no histórico.

Pele-de-Escama disse...

Ok, Tibúrcio, os ajustes solicitados foram acrescentados. Sugiro que você releia o texto inteiro novamente, pois adaptei alguns trechos para encaixar as informações complementares.

Estarei sempre a diposição para sanar qualquer dúvida.

Até mais!

Robert disse...

Oi angelo li novamente e esta otimo, gostaria de pedir descupas mais me equivoquei colocando o panteão egipsio aberto só o grego e nordico que serão permitidos.
Quanto a cidade estou preparando uns detalhes dela para melhor compreenção de vc's dos locais mais frequentados.
abraços

Follow the New World Order

Follow the New World Order
Follow the New World Order