domingo, 31 de outubro de 2010

Comentários sobre "A Crônica do Deus Uno"

Saudações cordiais, camaradas.

Nesta postagem farei comentários bastante particulares sobre nossa atual Crônica de Scion, cuja etapa Hero findou ontem. Convido vocês a também opinarem visando termos uma conversa franca sobre nossas impressões e apontarmos os aspectos que nos agradaram e desagradaram nessa trajetória. Essencialmente, que cada um de nós faça uma crítica construtiva sobre a campanha e o papel de Tibúrcio no processo. O texto ficará grande; leiam com paciência e atenção, por favor.

A história da Crônica foi uma das melhores que já participei ou acompanhei e fiquei orgulhoso por ajudar a contá-la. Ficou muito claro que Tibúrcio estudou a fundo as diversas mitologias e as reuniu com maestria num contexto complexo e cheio de reviravoltas. Em muitos momentos acreditei estar decifrando os bastidores da campanha, só para constatar na sessão seguinte que estava enganado. Admito que numa das vezes julguei que Tibúrcio havia misturado tantos elementos aparentemente incompatíveis que seria difícil deixar a história coerente no final da campanha. Foi com alegria que vi como as "pontas soltas" foram esclarecidas, adequando-se a cada personagem de maneira personalizada. Como ele havia previsto, fiquei impressionado com a reviravolta que ocorreu.

Quero deixar registrado que fiquei muito surpreso com a qualidade de jogadora vista em Fernanda, não só na complexidade do histórico de Prii (que se mostrou bem diferente do idealizado por Diogo), mas também em sua entrega na interpretação e principalmente pelo desapego à personagem. Dificilmente eu conseguiria jogar com gosto e verdadeira satisfação se soubesse antecipadamente que meu personagem estava fadado a destruição. Provavelmente jogaria sem muita seriedade ou de maneira displicente. Parabenizo sua postura "profissional".

Só um adendo: eu não conseguiria mestrar com facilidade numa mesa que tivesse um jogador com o perfil de Fernanda, que como costuma dizer, gosta de personagens traíras. Esta é uma deficiência minha, ok? Admiro quem lida com tranquilidade com personagens desse tipo.

Diogo, todos percebemos o quanto você ficou decepcionado e arrasado com o desfecho de Ragnar, e por isso espero que não fique muito chateado com o que direi. Você consegue perceber que Tibúrcio deu a Ragnar exatamente o final que você inúmeras vezes disse nessas quinze sessões que seria o maior desejo do personagem? Reproduzindo com minhas palavras:

"Que se foda a humanidade! Prii é a única coisa que realmente importa para Ragnar nesta vida, e ele fará o que for necessário para protegê-la e viver feliz ao lado dela"

"Tudo que Ragnar queria era ter uma vida normal ao lado de Prii, mas ele sabe que por serem Scions isso é impossível"

Finalizando este assunto, como você saiu antes de ver os finais de cada personagem, não pode saber que Doc Black recebeu uma Grande Profecia que deixa claro que tem relação com Ragnar. O QUE QUERO DIZER É: PERCEBA O NÍVEL DE IMPORTÂNCIA QUE RAGNAR CONQUISTOU! ALÉM DE TER TIDO UM DESFECHO QUE DEIXARIA O PERSONAGEM EXTREMAMENTE FELIZ ELE AINDA SE TORNOU UM DOS ELEMENTOS CENTRAIS PARA O DESENROLAR DA TRAMA DE DEMIGOD!

Pense nisso.

Fiquei muitíssimo satisfeito com o desfecho de Doc Black. Quem ouviu os acontecimentos narrados por Tibúrcio deve ter percebido que ele criou um desafio final que além de ter sido bem dosado caiu muito bem para um personagem mental, sem capacidades combativas. A única coisa que fiquei triste (MAS ADMITO QUE SERIA MUITO APELATIVO E DESEQUILIBRARIA O JOGO!) foi o fato de ele não ter conseguido manter a posse do Velocino de Ouro, mesmo estando vestido com ele.

EXPLICO: Na minha concepção, o Velocino de Ouro é a PERSONIFICAÇÃO DA ESSÊNCIA DO BEM-ESTAR. E todos sabem qual o caminho que Doc Black trilha, não é?

Por fim, quero sugerir a Tibúrcio que reveja seus conceitos em relação às penalidades por múltiplas ações, aos Stunts e à recuperação de Lenda. Esses aspectos estão muito difíceis de serem conciliados. Se possível, dê alguns exemplos de coisas que os personagens devem fazer (ou evitar) para que fiquemos cientes e trabalhemos em prol de um jogo mais equilibrado (em outras palavras: menos difícil para nós!!!).

Espero que todos contribuam de alguma forma com esta postagem. Aproveitem o feriadão e tudo de bom.

En Taro Adun!

13 comentários:

Pele-de-Escama disse...

Tibúrcio,

Preciso que você avalie a ficha para Demigod de Doc Black que postei há três semanas para saber se ela será aceita. Para fácil acesso clique nos marcadores no canto superior esquerdo, será a primeira postagem. Peço que faça isso o mais breve que puder, para que haja tempo hábil para reformular o histórico.

Para facilitar teu trabalho, apontarei a única característica que acho que será a mais polêmica:

A) Relic 3 [“The Developer (O Revelador)”]
- Access Purview (Mystery)
- Access Purview (Magic)
- Increase efficiency of one aspect of a knack (Heal/Infect - doubles the damage recovered/caused)

Anão Picareta disse...

Angelo,

Serei breve até por que no momento não quero falar sobre isso.
O problema não foi o final em si, MAS COMO OCORREU.
E meu desagrado não foi por essa ultima sessão, ela apenas foi a gota d'agua que faltava. Sinceramente não tenho pretensões de jogar Demigod, seja com Ragnar ou qualquer outro personagem.
RPG é para ser uma coisa agradavel e divertida, fico muito feliz que foi para todos, mas serei hipocrita se eu disser isso. A algum tempo (e não é pouco) que o meu divertimento não era o RPG e sim as conversas e brincadeiras da mesa.
Não pretendo entrar em maiores detalhes no momento, mas sei que hoje não tenho nenhum interesse em voltar para essa campanha. POsso aparecer para conversar e brincar com a galera, mas como personagem não.

Pele-de-Escama disse...

Tibúrcio, mais uma coisa, que só não inclui na postagem porque tem relação com as aventuras que ainda ocorrerão de Demigod. Nós havíamos conversado sobre isso mas relembrando o assunto depois decidi que preciso argumentar com você e debater sobre o tema.

Vou dizer só uma vez e peço que não responda de imediato. Pondere sobre minhas opiniões e depois dê um retorno.

Não concordo com tua decisão de dar apenas 2 XP (+ stunts de interpretação) POR SESSÃO para Corleone e Doc Black até que os outros personagens ascendam a Demigods.

Considero isso injusto. Se Corleone e Doc Black conseguiram avançar antes dos outros para Demigod é porque nós, seus respectivos jogadores, tivemos condições de participar ativa e presencialmente de todas as sessões.

Conceder uma quantidade menor de XP para "compensar" a diferença de nível entre os personagens seria falhar em reconhecer nossa dedicação e comprometimento com a campanha. Seria desestimulante.

Para não dizer que estou sendo muito radical, ficaria satisfeito se recebessemos o mínimo sugerido pelo livro (4 XP por sessão) + stunts por interpretação.

Esses meus argumentos não valem para Ragnar e Prii, que são casos excepcionais. Por exemplo, os 60 XP adicionais que o personagem de Fernanda receberá como "compensação" pela morte de Prii é uma forma de reconhecer o bom trabalho e dedicação de Fernanda. Imagino que Diogo receberia um montante uma pouco maior, haja vista a quantidade de XP que Ragnar possuía (mais de 170).

Leia atentamente meus argumentos e depois me avise sobre sua decisão, acho que vale a pena revê-la.

Pele-de-Escama disse...

Diogo, estava escrevendo o comentário e só li agora o seu.

Cara, fico triste em ler suas palavras. Embora compreenda e reconheça o que deves estar passando (tanto é que meses atrás escrevi uma postagem falando como notava tua frustração em não conseguir explorar todo o potencial de Ragnar), você foi quem nos apresentou Scion e sempre foi um dos maiores entusiastas do jogo, inclusive pretendendo apresentá-los a outros jogadores.

Não desista. Ainda mais agora que finalmente chegará a oportunidade que esperavas todo esse tempo de jogar Scion em nível Demigod (que você acredita ser a mais legal das três). Acompanhe-nos, nem que seja com um novo personagem.

Bom, não vou ficar pressionando a ferida. Acredite, conheço o sentimento que agora te aflige. Espero que se recupere rápido.

Anão Picareta disse...

Aproveitando que acabei de acordar e ainda estou no "estado zen", vou tentar explicar um pouco meu ponto de vista.

Vou começar pelo final.

Sim, aquele final era EXATAMENTE o que eu queria para o personagem, MAS NÃO da forma que ocorreu. Sinceramente eu não vi a necessidade da minha presença para terminar o arco já que eu só fiz assistir. Fui um mero expectador do personagem em um final que ele não conquistou, não participou e poderia muito bem ter sido apenas narrado por Tiburcio.
Não faria diferença se levassemos 1 dia ou 10 anos para chegar, o final seria o mesmo. Aconteceriam as mesmas coisas e seria expectador do mesmo jeito. Não sei no caso de voces mas o final de Ragnar foi o exemplo claro do que vou dizer agora:

Desde a chegada no mar de monstros eu tive a impressão de "não guiar mais" meu personagem e na floresta dos ursinhos Gummi eu tive certeza da minha impressão. Ragnar não passava de um mero NPC (no sentido de personagem controlado pelo mestre) em que eu não tinha poder sobre meu proprio personagem. Me sentia um daqueles burros de puxar carroça com viseira em que deve ir apenas onde lhe é mandado sem olhar para os lados e por isso o que fiz no final do personagem foi extamente tentar romper essas amarras e tentar criar/conquistar o final do meu personagem.
Na miha opinião se for p/ seguir um roteiro com script determinado em que vou apenas interpretar o que outro quer eu faço teatro e não vou jogar RPG.
Isso foi o que me chateou mais. As unicas vezes em que podia agir por vontate propria era em escolhas indiferentes a história (vou tomar agua agora? em que posição pego Prii?) Nunca podia fazer uma escolha real por que se tinha direita e esquerda e eu optava pela esqueda não podia por algum motivo já que a direita era o caminho do roteiro.
Preferia muito mais ser um personagem secumdário e poder ter o controle do meu personagem a ser como foi. Se o personagem é meu EU tenho poder de vida ou morte do personagem baseado em minhas escolhas e ações.

Outra coisa que me incomodava era o fato das regras mudarem a toda hora. Em uma sessão a regra era uma na outra a regra era outra. O 2 pesos 2 medidas tb me incomodou bastante.

Faz tempo que Ragnar (na minha opinião) não passa de peso morto p/ grupo em todos os aspectos.
Um personagem focado em combate que apanhou DE TODOS OS NPCs não minions (e até de alguns minions). Grande personagem né?

Por fim eu acho que as leis da fisica e realidade se dobram aos Scions. Ele não são regidos por essas regras da forma como os mortais são e a prova disso são os Boons e Knacks. Eu não vejo problema em um cara com cats grace e ligthing sprinter correr uma maratona inteira pelo teto sem qualquer problema como exemplo. Scion foi feito para feitos épicos, fantasticos e não para simplesmeste cair de cara no chão.

Ragnar como personagem foi meu maior fracasso. E é um personagem que no momento faço questão de apagar da minha lembrança por tudo que foi e como foi.

E sabe qual é o pior disso tudo?
A culpa é somente minha. Por que eu vi que meu estilo como jogador era incompativel com o estilo de mestrar essa campanha de tiburcio e mesmo assim insisti, exatamente por ser um entusiasta do sistema, exatamete pela possibilidade de jogar Demigod.

Mas sabe que isso foi bom. Foi bom pq eu sei hj que se eu jogar Demigod assim, será uma das maiores frustrações RPGisticas da minha vida, e é por isso que não pretendo continuar a campanha.

Bem eu falei o que eu penso e acho e peço desculpas se em algum momento fui rude, mas sou muito ruim com eufemismos por mais que tente.

Pele-de-Escama disse...

O.k.

Preciso reconhecer que a coisa é mais séria que imaginava e portanto não posso dizer que sei EXATAMENTE o sentimento que te aflige.

Contudo, baseando-me nos argumentos que expôs, preciso dizer que você tem razão. Eu não havia percebido com clareza antes mas entre os personagens da mesa aqueles cujas ações e escolhas pareciam ter menor força ativa para alterar os rumos da história da campanha eram Ragnar e Prii.

Como disse, eu mesmo não percebi que isso acontecia tão fortemente, então não tenho certeza se Tibúrcio percebia. Acho que vocês precisam conversar sobre o ocorrido e buscar uma forma de melhorar a relação Mestre-Jogador.

Além disso, não sei se fora das sessões você conversava com Tibúrcio sobre tua insatisfação. Se isso não ocorria, pode ter sido essa a falha: não deixar claro que não estava mais se divertindo e que a qualquer momento poderia se tornar insustentável permanecer jogando a campanha.

Prometo que vou dizer isso pela última vez: não desista. Converse com Tibúrcio, conheça os parâmetros que estabelecerá como narrador nesta nova etapa e dê sugestões sobre o que ele poderia fazer para tornar a fase Demigod divertida para você e para o resto do grupo. Reflita se valerá mesmo a pena a decisão que tomou.

Até mais. Melhoras.

Meu Nome É Tonho disse...

Buenas Diogo e Ângelo!

Dois dedinhos de prosa: Em toda trama mais complexa o mestre tem de forçar um pouco pra evitar excesso de sidequest e que o Big Boss morra logo de cara.

Senão acontece como nas minhas infindáveis sessões de D&D (a aventura simples - descer no buraco, encher o devorador de mentes de porrada e descobrir que ele tem aliados escondidos na floresta - virou uma campanha).

No caso de Ragnar e Prii, eles eram personagens principais (toda a trama estava ao redor deles) isso de ter de forçar acontece 10 vezes mais.

Eu conversaria com Tibúrcio pra o próximo personagem principal (eu acho que o próximo é Chuck) não ser tão forçado assim.

Porém, com forçação ou não, o fim foi condizente com o que o personagem dizia - Não importa nada, só que Prii fique bem.

E eu ainda tenho esperanças que Doc Black consiga restaurar a memória do povo.

Falows.

PS.: Tiba, com relação à XP, por mim mantém a diferença. Acho que a dedicação dos caras ao jogo dá a eles direito de ter mais XP.

Por mim eu ficava devendo - falta 13 XP, sem contar o XP pelo encerramento da campanha pra ele passar pra Demigod. Eu ficaria devendo, os próximos 13 XP que eu conseguisse seria para pagar isso, eu não comprarei nenhum poder novo.

Anão Picareta disse...

Buenas!

Ângelo: não, em momento algum falei com Tiba sobre isso. Bem acho que a coisa complicou por isso mesmo.

Lucas: tche, mas eu concordo contigo. Acho sim que o mestre deve "direcionar" o personagem principal, mas acho que dá p/ ser algo mais sutil (ou então eu sou mesmo MUITO cheio de frescura). E se referindo aquela "campanha" em especial, meu anão que morreu logo no inicio (p/ carniçal de 6 nivel) é um personagem que guardo na memoria com muito prazer! Morreu rápido pacas, (acho que foi menos de 2 meses de jogo) mas foi com roleplay. O personagem conquistou seu destino. Como tu mesmo disse: "se ele não tivesse ficado chigando o carniçal ele poderia ter saido vivo" e foi exatamente isso que foi o "pipoco do trovão do olho de tandera!"

Sobre o final, como disse foi exatamente o que queria e até mais, porém eu fiquei muito decepcionado com a forma que ocorreu (putz eu não sou tão idiota, eu percebi o final logo de cara quando tiba não me deixou fazer nada a não ser dar o sangue a Prii).
O final perfeito, jogado fora. Eu tinha que tentar fazer alguma coisa, não podia simplesmente deixar aquilo acontecer.
Acho que isso foi o que me revoltou mais: o ápice da historia do personagem, não ser conquitado pelo proprio personagem. Ser uma coisa que iria acontecer daquela forma, eu quisesse ou não, eu estivesse presente ou não.

Só para deixar claro, eu gostei do final a história para ele ficou muito boa, mas Ragnar, o personagem não fez nada para merecer o final.

Renato Dantas disse...

Diogo, espera a cabeça esfriar e conversa com Tibúrcio sobre como vai ser a próxima fase da crônica.

Aí então você decide se joga ou não.

DarkSaber disse...

Hi boys!!!
eu so li o post não li os comentarios ainda

caras assim eu gostei do que aconteceu com a prii...
queria ter mais tempo de trabalhar o personagem de mostrar todo o potencial que minha pequena vilã tinha mas ... não deu
e claro que eu sabia que o fim prii seria tragico,mas foi bem mais brando do que eu esperava, eu esperava algo do tipo destruição completa e absoluta do meu personagem (como aconte na maioria das mesas que eu faço a vilã e a turma da mesa acaba por me matar ou oque eu palnejava da cabo de mim).

eu tive sim desapego pela prii pelo simples fato de que, eu ja esperava por isso...
eu entrei na mesa com a missão de fazer a vida de vcs um pouco mais dificil...
acabei por não conseguir tanto, mas fiz minha parte na cronica...
quanto a minha postura sobre jogar com um personagem que vai morrer logo, na maioria das vezes o mestre escolhe meu pj para que ajude ele, mas o personagem prii a ideia inicial não era minha, mas acabei por tomar um certo carinho pelo personagem o que me deu mais vontade de jogar com ele e de lhe dar um final que lhe seria digno...

Fiquei feliz pelo final que ela teve,pois era isso que a personagem queria, um final feliz para ela e ragnar seu grande amor, O CONTO DE FADAS QUE TODA MENINA DE 14 ANOS DESEJA VIVER...

bem pelomenos agora vem um personagem que eu fiz Helena eu ainda não tenho ela toda pronta mas a foto eu posto logo, logo.

Helena esta em faze de construção porem eu adianto que ela não é parecida com a Prii em nada...
pelo menos na personalidade.

bem bjs boys!!! vou demorar a postar dinovo pois vou gastar meu tempo com a construção da Helena e com meu namorado OKs!!! >.< bjs

Saber disse...

rapazes,hugo ja terminou de reler o livro de mago e vai querer narrar uma campanha e agente tava afim de resolver como ela vai ser esse sabado agora.
quem estiver interresado deixa recado no blog pra agente ter ideia de quem vai jogar e quem não vai ta.

bjs Xaus

Meu Nome É Tonho disse...

Fernanda, se não for no mesmo horário que Scion, eu topo jogar mago!

É um dos meus jogos preferidos, e já tenho duas dúzias de personagens prontos (o meu preferido é um Eternauta).

Pele-de-Escama disse...

Fernanda,

pode contar comigo, basta confirmar a hora. Hugo permitirá que criemos nossos personagens?

Lucas,

num primeiro momento, a campanha de Hugo seria narrada no intervalo que Tibúrcio precisará para organizar Demigod baseado em nossas postagens onde descreveremos o período das vidas de nossos personagens até os 26 anos. Nada impede, contudo, que intercalemos as duas campanhas quando iniciarmos Demigod (quando Tibúrcio for realizar suas provas, por exemplo).

Tibúrcio,

ainda hoje (se não hoje, o mais breve possível) devo postar as características do cenário de Demigod como solicitou. Tenho tido pouco tempo para isso mas farei o melhor que puder.

Inté, comrades!

Follow the New World Order

Follow the New World Order
Follow the New World Order