segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Quem fui um dia - parte I

Esta é minha vida,
Sangue,mortes,lutas,mortes,mais lutas e mais mortes, já que o mundo mítico gosta de sacrificar a humanidade ao seu bel prazer temos que jogar conforme as regras.
Ultimamente estou a caça de um gigante chamado crid, mais já fui um humano normal.
Quem sou????????
Um mero acaso do destino por assim dizer, alguns me chamam de Jack, outros(as crias bastardas dos olimpianos) me apelidaram de wolverine,mais meu pai é até estranho chama-lo deste jeito, é Odin. Vc deve estar se perguntando:
Como assim um mito é seu pai????
É isto ai.Caso vc ache sua vida uma merda e gostaria de torna-lá mais divertida pense duas vezes ao proclamar isto. E se por um acaso vc se identificar com a história, tenho uma pessima notícia para vc, :(, eis um scion.

Tudo começou no ano de nosso senhor,kkkkkkkkkkkkkkkkkk,esta triste contenda começa no dia de São Patrício, quando ainda tinha meros 12 anos, minha mãe me levará a mais um passeio dominical com a tia Gertrudes nos jardins de Bockingham, pois é minha mãe Sra. Anabhet II é Duquesa e tem uma cadeira no parlamento Inglês, desde de sempre fui educado sobre os caprichos da nobreza. Nunca fui snobe sempre gostei de um agito de aventuras, por isto minha mãe enlouquecia quando eu entrava numa nova arte marcial, aulas de esqui, cart, equitação, sem falar que neste ano eu me escrevera no campeonato nacional de montanhismo e nos jogos escoceses, para ela isto era....Mais voltando a vida tornou se mais interessante naquela tarde.

Meus primos Jorge e Tcharcher estavam praticando tiro ao alvo quando a brincadeira saio do controle e foi a primeira vez que o vi. Achava que era fruto da minha imaginação mais não, meu primo atirou em mim eu estava numa árvore próximo a eles quando um LOBO enorme me tirou da direcção da bala e eu cai da árvore acordei no outro dia no hospital Naval, minha mãe falara que meu pai era um Almirante de grande prestigio e que mais cedo ou mais tarde teria que me alistar para agrada-lo, até o momento ela nunca tinha falado dele para mim daquele jeito.

- Mãe quem realmente é o meu pai?
- Filho ele foi um homem que grande respeito, em toda Grã-Bretanha e ao norte da Europa, ela falou pela primeira vez dele com lágrimas nos olhos. Ela estava usando um lenço que tinha as iniciais deles dentro de um coração. Ela deu as costas e ainda soluçando,- Ele me amou filho por longos dois anos os mais felizes que tive. Ao abaixar as mãos as segurei e as apertei com força.
Sempre pesei que ele a tivesse deixado na rua da amargura a sociedade inglesa sempre me tratou como um bastardo, devido a minha mãe ter me criado sozinha, mais há deixara posição e status além de unir as fortunas dele com as dos meus avós os Lancaster's. Eu cresci em aos arredores de Chelsea em Hever Castle, este ano estava a estudar em Oxford já que no ano passado fui expulso de dois colégios internos parto de casa.
- Não se esqueça Jack sempre terras um lar em Chelsea, amanhã voltaras ao colégio, volto a lhe ver nas ferias de verão.

Os meses se passaram rápido sem muita agitação no ultimo dia de aula tive que escapar para ir as eliminatorias no campeonato de montanhismo. Algo estranho estava acontecendo comigo desde o acidente teve momentos que cheguei a ver gigantes andando nas ruas mais quando coçava os olhos estava tudo normal o mais chato fui a eterna sensação de perseguição.

Quando cheguei em Linbirdy Lisa e Tom estavam numa agonia só, Lisa crescera comigo em Hever e Tom seu irmão e sempre atrapalhado.
- Jack, gritou Lisa com uma aceno para mim.- que demora onde estava?
- Perdi o Trem das 10h, como estamos? Oi Tom. Tom nasceu com problemas auditivos por isto não falava muito bem.
- ttttttuddddo b...em..... JaccK.
Dei um sorriso e fiz um cafunê nele.Lisa me abraçou e me deu um beijo de boa sorte
- tttá namoraaannndo...., booboa sorrtte Jaccck.
-Até mais gente. Corri para meu ponto o objectivo da prova era chegar o mais rápido no sino no alto do cume os 7 primeiros estariam classificados.
- Aos seus lugares preparar, BUUUUUUUUUMMMMMMMM!!!!

Saímos correndo como Loucos já haviam se classificado 4, uma destas vagas tinha que ser minha, já que no próximo ano estaria na escola para fuzileiros. Subi o mais rápido possível mais no meio quando olho para o lado vejo um Ogro puxando uma corda de aço que me faz perder o equilíbrio e por pouco não cai,ouvi gritos e suspiros lá de baixo.

- O Jeeeeeeeck, sua cria bastarda vais morrer hj em nome de vosso pai. Urrou o Ogro com uma baba asquerosa saindo de sua boca.Ele pega um porrete feito de madeira com um bronze reluzente nas pontas e começamos a nos engalfinhar no ar. O mais engraçado é que desta vez não ouvi nada a não ser gritos de incentivos para chegar no sino. O porrete passou muito perto mesmo de minha cabeça e arrebentou com uma pedra a deixando-a em pedacinhos. Quando do nada o mesmo lobo do jardins do feriado pula nas costas dele e ambos caem e se evaporam no ar. o sino toca e os vencedores a gloria e para mim a frustração de não ter chegado lá.

Quando desço corro em dirreção de Lisa e Tom,
- Vc's viram o Ogro ao meu lad...Lisa me dá um baila beijo na boca, todos batendo palmas ao meu redor.Não entendi nada até o chefe de prova vir me avisar que eu era um dos finalistas. Naquela época eu não sabia que a Névoa existia ou o que acontecera para mim só foi um dos muitos outros episódios que ocorreriam daqui em frente.

Fim da primeira parte -
Espero que gostem
abraços

7 comentários:

Anão Picareta disse...

dá uma arrumada.Ficou legal,mas dáaimpressão que tu escreveu com pressa...

Pele-de-Escama disse...

Saudações cordias, camaradas.

Caríssimo Tibúrcio,

felizmente li teus comentários na última postagem (a que se segue a esta, escrita por Lucas), pois ajudaram muito a entender teu estilo de narração. Compreendi o comentário de Diogo, pois se você não tivesse comentado que deveríamos ler como se fosse um blog escrito por Bouer, eu também ficaria bastante confuso.

Gostei bastante de tua história, super detalhada, bem interessante em vários aspectos. Algumas partes de tua narração eu achei estranhas, meio que incompatíveis, por exemplo sempre te vi interpretando Bouer como um cara orgulhoso da herança viking, aí logo no início ele se queixa de que sua vida é uma merda?

Gostei muito da característica (deficiente) do amigo de infância Tom.

Outro detalhe importante: pareceu-me que teu corretor ortográfico é para o português de Portugal, os erros de ortografia atrapalharam a fluidez da leitura em alguns trechos.

Continue o trabalho, aguardarei ansioso.

Pele-de-Escama disse...

Ops, erros de ortografia não, de concordância!

Pele-de-Escama disse...

Quanto a Névoa, fenômeno sobrenatural que na minha opinião você conseguiu mostrar bem a impressão percebida pelos mortais, acho sinceramente que Diogo não está utilizando da forma como tu a descreve e costuma imaginar.

Digo isso porque quando leio os exemplos dados nos livros não vejo os Scions tendo a preocupação de cobrir seus rostos, se "fantasiar" ou evitar deixar impressões digitais e coisas do gênero para evitar perseguições da polícia e da imprensa e testemunhos vívidos da população.

Entretanto considero isso "estilo do narrador", e todos do grupo nos adaptamos a isso. Por isso somos sempre meio paranoicos em cumprir nossas atribuições como Scions sem deixar vestígios.

vei tiba disse...

Pois é escamoso a compreenção da Nevoa é algo muiticimo importante para o jogo, pois quando vc desenvolve o knack god's honest- em via de jogo o pj passa a manipular a nevoa para os mortatis que é algo formidavel de se fazer, mais como no nosso jogo não existe nevoa vou fazer que ela só existe proximo ao panteão nordico que fica aos aredores de Londres, em Ragnarock tem uma historia que descreve os varios lugares ao qual asgard sobrevoa afim de manter a ordem no 5 mundo, atualmente asgard se situa sobre a torre do relogio do parlamneto ingles.
abraços escamoso

Anão Picareta disse...

Uma observação:

A nevoa existe. Ela não proteje o Scion de tudo. Ele ainda tem um um rosto, digitais. Ele AINDA É UM MORTAL. Ela pode não funcionar como tu queira, mas ela existe e está lá.
lembre-se de que existem seres totalmente misticos (satiros p.ex) e seres "mesclados" como Scion. E a nevoa está mais para o Véu dos Garous do que como algo "invisivel".

Pele-de-Escama disse...

Ok, Diogo. Porém, como disse em meu comentário, passei batido pelas histórias onde os personagens se mostram preocupados em não deixar vestígios. Tu poderia me sugerir alguns trechos (de qualquer fonte oficial) para ler? Valeu!

Follow the New World Order

Follow the New World Order
Follow the New World Order