segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Sobre a última sessão

Saudações cordiais, camaradas.

Farei o possível para evitar que esta postagem fique chata e cansativa, já que será grande. Quero tecer alguns comentários sobre a última sessão e também dar uma ideia a Diogo do que aconteceu, já que certamente ele solicitaria que alguém resumisse a sessão.

-x-

- Sempre desejei uma sessão de Storyteller/ Storytelling de nosso grupo que usasse a regra de ouro do sistema: poucas rolagens de dados. Achei excelente a forma como nos viramos sem eles, embora reconheça que eles são necessários nos momentos clímax (mas apenas quando o sucesso/ fracasso for de fato determinante);

- Caso alguém tenha achado estranho alguns aspectos de minha interpretação, esclarecerei alguns elementos em que me baseei (adianto que fiquei muito satisfeito com os momentos em que Doc Black conseguiu se destacar de alguma forma, então liguem o desconfiômetro):

1. O sacrifíco heroico de Doc Black para salvar Corleone da baforada do drakul

- Primeiro ponto: Embora várias vezes tenha afirmado que o Valor de Doc Black seja mais voltado para os mortais, já que Scions de maneira geral não são indefesos, quando partimos do acampamento nesta missão foi dito com todas as letras que "os meio-sangues que não são filhos dos Grandes são descartáveis e devem fazer o possível para assegurar a sobrevivência e sucesso desses". Por uma questão de background, considero essa ordem válida primariamente para os Olimpianos, por isso ele agiu e falou daquela forma (sobre a importância de Corleone);

- Segundo ponto: Diante de um oponente impossível de vencer, Doc Black fez a coisa mais inteligente (na minha opinião), considerando-se que ele não tinha como fugir. Embora seus talentos sociais fossem fracos, parlamentou com o drakul;

2. A inimizade com Chuck Bass

Lucas, espero que você não esteja se sentindo muito ofendido e chateado por Doc Black implicar tanto com Chuck, mas ele e Doc Black são inimigos naturais. Bass é um arauto da morte, Black um preservador da vida. Chuck só obterá o respeito de Lawrence se demonstrar piedade e sacrifício, o que sei que não acontecerá (sempre concordo com Tibúrcio quando ele elogia e recompensa tua interpretação, está mesmo excepcional).

Como disse noutra postagem, Chuck Bass é o nêmesis de Doc Black.

3. A cura milagrosa dos Grandes Heróis (Corleone e Klavan)

- Por mais que estivesse chateado com a estupidez de Corleone e Klavan aos confrontar as 85 dracanaes (SIM, DIOGO, 85!!!), Black curaria o filho de Netuno de qualquer forma. Para justificar a cura de Ragnar, contudo, tive que pensar um pouco, afinal tudo que os nórdicos tem feito até agora tem tornado as coisas mais perigosas que o necessário. Ainda bem que Doc Black é médico: pude usar o juramento de hipócrates como argumento!

4. A salvação de Diana

- Esta foi simples, e creio que foi uma ótima ideia: Doc Black deduziu que Diana era um alvo fácil dos cães demoníacos, invisíveis, e correu para tirá-la do local em que ela provavelmente seria atacada. Tibúrcio decidiu dividir o dano da mordida entre os dois personagens, o que significa que ela sofreria 8 agravado e nem mesmo os poderes sobrenaturais de cura de Black poderiam evitar a morte de Diana. É nessas horas que dá gosto ter uma boa ideia!

-x-

Se quiserem escrevam também sobre suas impressões, penso que isso ajuda a todos na mesa, já que passamos a conhecer melhor os personagens e seus jogadores, além de dar novas ideias ao narrador, é claro. Estou aberto também a críticas e sugestões de como Doc Black pode se tornar um personagem melhor.

Aguardo ansioso pela próxima sessão. Tudo de bom, amigos.

En Taro Adun!

7 comentários:

Anão Picareta disse...

Valeu Angelo! Estava ansioso por esta psotagem.

Fico feliz em saber que Kavlan foi necessário e realmente útil ao grupo. Pelo visto perdi a melhor sessão de todas para um personagem combativo, é uma pena, mas tudo bem.

Uma coisa que ficou no ar: algum personagem morreu? Tive a impressão que Diana e Black foram ver os pais divinos...

Agradeço mias uma vez a postagem.

DarkSaber disse...

bem ainda não, mas quase aconteceu foi uma batalha legal ^^
o doc black deu um show de sindrome de super homem (SALVA TODO MUNDO E ESQUECE DE SE SALVAR).

a falta dos dados na sessão foi uma otima forma de nós fazermos cenas mais heroicas sem nos importamos como ia ficar nossa parada de dados,sei que provavelmente não vai se repetir mas foi divertido.

algumas cenas foram esquecidas pelo doc e eu vou lembrar,o encontro do que era amigo do ,que tava quase morto, ragnar (esqueci o nome dele >.<).
o caminho ate o catelo de fogo onde haviam as serpentes negras hiper mega venosas,o roubo das chaves do inferno, e que nos recebemos a missão de recupera-las da propria perserfone e que estamos em algo que se asseme lha ao mundo inferior grego,ou não,e como recompensa ela vai nos levar direto ao castelo do deus uno

Anão Picareta disse...

OK! Obrigado guria! Pareceu que foi bem interessante e divertida a ultima sessão!

Se não te importar optei por excluir em definito as postagens anteriores (que tu tinhas excluido) para deixar mais limpo os comments ;)

Meu Nome É Tonho disse...

A situação: Ragnar tentou um clinch num cão do inferno gigante feito de lava (não dava pra ver que o totó era feito de lava), e matou o bicho.

O problema foram as queimaduras de terceiro grau e o segundo cão do inferno, que ia levar Diana e Ragnar numa dentada só.

Doc Black se jogou na frente do bicho, e ele e Diana quase empacotaram. Seguindo minhas ordens, a PM executou o cão do inferno logo depois.

Aí encontramos Perséfone, mulher de Hades durante 6 meses do ano (nos outros 6 meses ela é deusa da colheita). Ela riu do casamento de Ragnar, Chuck deu uma cantada nela (essa quase colou), e ela prometeu indicar um atalho se a gente pegar um japonês filho da puta que roubou o chaveiro de Hades.

Sim, o japonês filho da puta roubou o chaveiro de Hades, e Hades não consegue mais abrir as portas do inferno. Detalhe: o japonês filho da puta tem um elmo de invisibilidade e cães do inferno.

Ahhh, e Diogo, tem muita história pra atualizar de Ragnar e Pri. Meu personagem contou pra Ragnar que tem um espírito atormentando ela, aparentemente uma irmã adotiva que foi assassinada. O espírito possuiu Pri duas vezes e tudo que deu pra fazer foi olhar e gritar "Tira a roupa!"

Felipe disse...

Diogo, não consegui usar toda a tua experiencia que vc como pj tem em batalha, por isso eu e tu nessa luta contra as 85 dracaenas, enchemos a caixa de bashing e ficamos perto de chegar ao incapacitado no nivel letal.

mas Doc Black nos curou por completo. Tentei de toda forma interpretar Klavan com a tua proposta para o personagem.

Espera a opinião de Tiburcio e dos outros sobre isso.
Mas se tu não tivesse, realmente teriamos morrido. =)

Anão Picareta disse...

TRanquilo cara! Não me importo de Ragnar ser ferido mortalmente (ou quase :P), o importante é que ele possa colaborar. Bem a interpretação (em lutas) lembra muito a forma de combate de Abel do SFIV.

Gente só p/ avisar: APENAS HJ OS 6 LIVROS DO PERCY JACKSON por 88,91 no site do submarino, o que dá menos de 15 reais por livro e frete gratis.

vei tiba disse...

AWE gente, gostei de saber que vc's não se importam tanto com os dados vou adotar na próxima sessão novamente. Estou a bolar uma entrevista já já sai.kkkkkk....

Follow the New World Order

Follow the New World Order
Follow the New World Order