sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Resumo da sessão de D&D 3.5 ocorrida sábado, 31.10.09.


Saudações cordiais, camaradas.

Ok, Diogo, eu precisava só de um feedback de que os textos estavam pelo menos sendo lidos, que não estava trabalhando em vão, afinal apenas eu estava postando para o blog nos últimos tempos. Aproveita que Lucas te deixou criar o terceiro goliath e "reabre" teu blog "O Anão Acrobata, Relatos de Campanha" (ainda que a atual campanha não se passe em Amestris).

Quando a situação melhorar pra você Lucas, incrementa o cenário.

Adentrando Ravina dos Trovões, Zabu viu que na extremidade oposta da rua um grupo de kobolds saltitava ao redor de uma grande figura feminina que também chegava à cidade: Anya! Incapaz de conter a emoção por finalmente reencontrá-la, o carpinteiro gritou o nome da irmã e correu em seu encontro, braços abertos, câmera lenta... até que, já prestes a abraçá-la, parou diante dela e com o indicador em riste começou a reclamar sem parar com a guerreira por sua irresponsabilidade e imaturidade. Zabu só notou que estava dando um vexame diante de toda a cidade quando o prefeito, ignorado, engrossou a voz e recaiu no clássico “Você sabe com quem está falando?”. Anya ficou quase o tempo todo ouvindo em silêncio as queixas do irmão, já que este não a deixava concluir nenhuma das explicações que tentou dar.
Quando Zabu se acalmou o prefeito começou a falar sobre os comentários que chegaram a seus ouvidos sobre o fracasso de Zabu, Chaldmyr e Miroundel em resolver o problema dos zumbis que atormentavam seus aliados kobolds. O carpinteiro admitiu que o fracasso da missão ocorreu porque eles permitiram que os monstros fugissem para as montanhas em vez de destruí-los. Porém o prefeito minimizou a importância do fato revelando que problemas maiores surgiram e que precisaria novamente dos serviços de Zabu como guerreiro. Enquanto conversavam, um grande ser encapuzado se aproximou discretamente (!?) do trio revelando interesse em saber o que estava acontecendo para ajudar no que pudesse. Ouviram atentamente e aceitaram realizar a nova tarefa, mesmo Zabu demonstrando muito relutância em continuar nessa perigosa vida, principalmente com sua irmã desmiolada a tiracolo. Mas Anya, com determinação nunca antes vista por seu irmão, disse que participaria de qualquer jeito da missão dada pelo prefeito e que se seu irmão quisesse zelar por ela teria que ir junto. Contrariado, o carpinteiro assentiu.
No saguão da prefeitura o trio foi apresentado a dois líderes da cidade élfica de Vialya, que procuravam por Zabu por sua boa reputação como combatente de magos. Eles seriam recompensados com 100 moedas de ouro se conseguissem recuperar a bolsa de itens do feiticeiro recentemente confrontado por Zabu, aquele mesmo que morava no porão da casa abandonada que os kobolds usavam como abrigo. Essa bolsa foi furtada por goblins da Tribo dos Chifres Sangrentos pouco antes de sua morte. Esta mesma tribo atacou um grupo de arqueólogos que procuravam a localização do túmulo da maga meio-elfa Anna Varee, objetivando recuperar alguns itens mágicos élficos que estavam em seu poder. Um dos líderes élficos ofereceu um adicional de 300 moedas de ouro por qualquer informação útil e comprovada da localização desse túmulo, que provavelmente lembraria uma área soterrada por um desmoronamento, causa da morte da maga.
Aminu Haminuh (o grande ser encapuzado citado anteriormente – um goliath de pele avermelhada com aspecto de pedra rachada que seguia o Caminho do Monge), Anya e Zabu partiram na manhã do dia seguinte numa carruagem que seguiu para o norte até as proximidades da montanha Ravina dos Trovões. Depois seguiriam a pé por quase duas horas até alcançar o sopé, mas desviaram para investigar um ruído de rochas sendo revolvidas à leste. Avançaram por mais de três horas até encontrar algo que talvez justificasse o barulho antes ouvido: um gigante das colinas, que tentava se esconder atrás de uma rocha menor que ele! Os herois e o gigante, tensos, ficaram se analisando e Zabu considerou contornar a área em vez de avançar diretamente, preocupado com sua irmã, a quem insistia em pedir que ficasse atrás dele para que pudesse protegê-la.
Certo da inevitabilidade do combate mesmo que tentassem contornar o local o monge investiu na direção do gigante, que arremessou uma rocha certeira no goliath. Anya não perdeu tempo e partiu pra cima do monstro, sendo seguida por Zabu. O carpinteiro ficou desesperado quando viu sua irmã ser derrubada no chão por uma ombrada dada pelo gigante, mas tal emoção alterou-se instantaneamente para o assombro quando seu queixo foi ao chão ao vê-la praticamente quicar e aproveitar o embalo para acertar um belo golpe na criatura. Infelizmente isso a transformou no alvo preferencial dos próximos ataques e com apenas duas pancadas Anya ficou severamente ferida. Zabu se posicionou entre ela e o monstro e sacou rapidamente seu odre com vinho de alta qualidade, arriscando barganhar pelo fim do combate, mas foi ignorado por completo. Nesse momento Aminu saltou sobre o gigante, imobilizando-o por tempo suficiente para que Zabu e Anya conseguissem fugir correndo. Quando eles já estavam em segurança o monge fez uma acrobacia para se afastar e correu em disparada na direção dos irmãos, sendo perseguido pelo gigante. Apavorados, entraram no primeiro buraco que viram no paredão rochoso da montanha, esperançosos de sumir da vista do monstro.
Foram bem sucedidos, ainda que o gigante tenha permanecido nas proximidades da entrada impedindo que o trio saísse de seu refúgio. A escuridão na caverna era total e Zabu quis acender uma tocha, ideia repudiada pelo goliath. O carpinteiro argumentou que pretendia avaliar as condições da caverna, pois temia um desmoronamento tal qual levou à morte a maga meio-elfa e também produzir iluminação suficiente para que ele pudesse prestar os primeiros-socorros em Anya e no próprio Aminu. Depois disso Zabu avançou alguns poucos metros dentro da caverna até que achou um declive instável que terminava num solo irregular formado por rochas que pareciam resultado de um desmoronamento. Ele imaginou que talvez fosse o local onde jazia Anna Varee. Certos de que a estrutura do local era firme, improvisaram uma fogueira e passaram a noite lá.
Pouco depois Aminu acordou surpreso: tal qual uma alucinação e sem qualquer explicação o trio não mais estava dentro duma caverna e sim no meio de um verdejante bosque. O monge viu que Zabu e Anya continuavam adormecidos. Na paisagem notou um estranho bólido cinzento que parecia inflar e desinflar e uma pequena criatura num lago pescando despreocupadamente. Após um período de adaptação a situação em que se encontravam e investigação discreta e cuidadosa, Aminu descobriu que a pequena era ninguém menos que Anna Varee, aparentemente presa ou revertida a um corpo infantil. Ela já havia perdido a noção do tempo em que estava naquele lugar e sempre que ficava contrariada o ambiente ao seu redor mudava para algo sombrio e violento, com nuvens cobrindo o céu de repente e fortes ventos soprando. O bólido era um grande dragão de bronze, o João Babão, que revelou ao grupo que todos, exceto ele, estavam presos num Plano de Existência: Anna Varee era tão poderosa que ao supostamente morrer vítima de um desmoronamento causado por gigantes criou um Plano feito de puro Sonho, que a muitos outros aventureiros aprisionou antes dos três. A maioria morreu naquele lugar não por fome ou sede, mas por terem irritado de algum modo a criança. Apenas aqueles que conseguiram convencê-la de que lutavam contra gigantes tiveram sucesso em voltar para seus planos de origem.
Entretanto João Babão não revelou essa preciosa informação de graça: por gostar muito da meio-elfa e desejar libertá-la dessa prisão onírica, ele exigiu que resgatassem o corpo de Anna dos escombros do desmoronamento, pois apesar dessa condição letal seu extraordinário poder mágico a manteve viva por todo esse tempo. Zabu foi selecionado como alvo de um encantamento de compulsão conjurado pelo dragão que o obrigaria a direcionar toda sua atenção a missão de resgatar o corpo de Anna Varee de sua prisão de rochas. Ao pedir a Anna que os enviasse de volta a Mystara para combater os gigantes que ameaçavam Karameikos, foram teletransportados à mesma caverna onde haviam se refugiado do gigante, descansados e com seus ferimentos totalmente curados.
Reanalisando os escombros que agora tinha certeza estar sobre o corpo da maga Zabu constatou que levaria mais de um mês para que todo entulho fosse removido pelos três. Seria necessário providenciar equipamento adequado e mais pessoas para a tarefa. E Aminu verificou que o gigante não mais estava nas redondezas - poderiam recomeçar sua busca pelos goblins da Tribo dos Chifres Sangrentos.

En Taro Adun!

45 comentários:

Anão Picareta disse...

legal, mas poderia ter descrio um pouco mais o combate, nunca assistiu dragon ball? o Climax sempre é o troca-tapa (especialmente quando temos que correr dele :P).

Anão Picareta disse...

Buenas!

Resumo da ficha do meu personagem:

Barbaro 1/Guerreiro 1/Ajuste +1 (3ºN)

FOR21/DES14/CON14/INT10/SAB10/CAR7

CA16/PV26 - FORT+6/REF+2/VONT+0
AGARRAR +11

GreatHammer Goliath (large) Obra-Prima(ver background) +8/3d6+5 - 20/x4
Espada Longa (L)(reserva) +7/2d6+5 - 19-20/x2

Pericias(16pnt barbaro/+2guerreiro)

Escalar+6/Intimidação+2/Natação+6/Oficio (armeiro)+3/Ouvir+4/Saltar+6/Sobreviencia+4

Talentos:
Auspicius MArking/ Furia/ Movimento Rápido/Exotic Armor Proficience.

Bem em resumo é isso. Vou postar daqui a pouco o back do personagem. T+

Pele-de-Escama disse...

Putz, que destruidor de mundos! Desse jeito lucas vai ter que aumentar muito o nível de desafio dos encontros, ou a quantidade de inimigos, porque tu derrubarás um oponente por golpe!

Continuo impressionado com o fato do goliath ter apenas +1 de ajuste de nível.

Quanto a descrever um pouco mais o combate, creio que deu pra passar boa parte da tensão pelo qual passamos da forma que escrevi. Mas estou supondo que esperavas que eu citasse ao menos uma das duas tentativas de ataque atordoante que teu monge não conseguiu acertar.

Mas valeu pelo comentário, pois vou tentar aprimorar o texto nos próximos resumos. E vamos ao background!

P.S: não sei se isso vai dar uma ideia diabólica a Lucas, mas tô sentindo um cheirinho de ferrugem no ar... sério mesmo!

Pele-de-Escama disse...

Tu podes dizer o que faz Auspicious Marking? Outra coisa: não seria Exotic Weapon Proficiency? Mais uma: não tá faltando 1 talento por NEP 3 não?

Anão Picareta disse...

Bem 1° eu procurei fazer ele equilibrado e não um destruidor de mundos. Não se preocupe, jogando com lucas esse PC é incrivelmente fraco, vai por mim (um PC bom contra as criaturas de lucas tem que ter DEX alta, CAR alto e um talento que muda todos os testes de SAB por CAR) :P! Vai por mim dá p/ fazer um goliath MUITO mais poderoso que isso.
Bem vamos as tuas duvidas:

Auspicius Marking: +2 em todos os teste de CAR que envolvam Goliaths.
Não, é Exotic Armor Proficient sim. Proficiente em Armadura Exotica: Leather Mammoth. Armadura leve com +4CA/DEX+4/pen armad -4/ falha magia 20% 15kg.
Que eu saiba (o que não quer dizer muita coisa) não ganho talento pelo fato no NEP3. Teria quer ter o NIVEL 3 mesmo para ter direito ao talento.

Vou resumir o Back no prox comment

Meu Nome É Tonho disse...

Pele-de-Escama, aventura inicial:
200 XP - Permanecer no personagem
50 Xp - Derrotar os 4 goblins na estrada;
200 Xp - Derrotar os 6 kobolds zumbis (maldito clérigo!);
450 Xp - Derrotar o zumbi grande (como eu havia dito, maldito clérigo);
350 Xp - Derrotar o vilão da aventura.

Patrícia:
100 XP - Encontro com os goblins
450 XP - Enfrentar o líder goblin
200 XP - Ajudar os kobolds

Pele-de-Escama, aventura da coruja:
600 XP - Coruja
300 Xp - Desventuras na toca do Hobbit

Aventura do Gigante:
500 XP - Gigante
2000 Xp - Todo o resto

Totais de XP:
Ângelo 1250+900+2500=4650
Patrícia 750+2500=3250
Diogo, se continuar 2500

Pele-de-Escama disse...

Fico grato pelo detalhamento, Lucas.

Pelos comentários de Diogo e Patrícia em breve editarei o resumo da 3ª aventura com as sugestões deles.

Peço desculpas pelas piadas, mas sinceramente algumas eu achei bem engraçadas, além de ter deixado Patrícia mais solta. Ela disse que percebeu que o ideal para um bom aproveitamento do tempo é não brincar muito, mas também que uma ou outra piadas em certos momentos divertem tanto quanto o jogo em si.

Ela, assim como eu, está super animada com a campanha. Esperamos poder jogar bastante antes de você enjoar de mestrar D&D, Lucas. A inestimável companhia de Diogo e a possível presença de Siddartha em jogos futuros tem grande potencial para uma campanha longa e memorável.

Pele-de-Escama disse...

Saudações cordiais novamente, camaradas.

Como já disse outras vezes, tenho o hábito de analisar as sessões das quais participo e fazer um balanço dos erros e acertos buscando sempre melhorar. Na sessão de ontem ocorreu uma situação que apenas agora, depois de relembrar os acontecimentos para fazer o resumo, percebi que errei bastante.

Na introdução do novo personagem goliath (guerreiro), surgiu a possibilidade do goliath monge cometer um assassinato a sangue frio, baseando-se unicamente no fato de serem de tribos rivais. Nessa hora Zabu tomou uma atitude absolutamente oposta àquela que ocorreu dias atrás, na qual o clérigo meio-drow quis matar o poderoso mago elfo justificando que ele voltaria depois para se vingar.

Mesmo que Zabu seja neutro autêntico e que ele deva a sua vida e a da irmã vida ao monge, ele não poderia tão facilmente como fez "olhar para o outro lado" enquanto o monge matava o guerreiro. Pra falar a verdade sua neutralidade permite que ele faça isso, porém isso jamais poderá se tornar algo corriqueiro e banal.

Acho que consegui explanar bem a ideia que quis passar. Vou me policiar ainda mais daqui pra frente e peço que ocorrendo novas falhas desse tipo os membros do grupo me façam lembrar dela se necessário.

P.S: mesmo que em nenhum momento eu lembrasse de ser condolente com o guerreiro, as ideias que me passavam na cabeça eram de deixá-lo amarrado enquanto adormecido (se o grupo decidisse por não aceitá-lo como companheiro), mas meu lado jogador prevelaceu sobre o personagem e sabia que cordas não iriam mantê-lo preso. Além disso tinhamos que encaixá-lo de algum modo no grupo, e não o contrário. A resolução foi demorada (desculpa aí, Lucas) mas no fim deu certo.

Mantenham contato pessoal. Sou da opinião que quando nos comunicamos extra-jogo (pelo blog) também estamos jogando, pois planejamos e avaliamos nossas atitudes.

Até mais, boa semana a todos.

Anão Picareta disse...

Uma coisa interessante de notaaar tb é que tribos rivais, não necessáriamente quer dizer inimigas, acho que errei nesse ponto, onde depois procurei apresentar a rivalidade dee um modo mais "desconfiado" ao invez de inimigas. Mas como não conheço o cenário direito em detalhes fica dificil encaixar um back completo. Acho os Golitah uma raça MUITO INTERESSANTE para ser inserida, tanto como possibilidades de PCs como principalemnte de NPCs (acredito que qq grupo de aventureiros pensaria 2x antes de atacar uma patrulha goliath :D) pelo desenho do mapa do cenario.

Meu Nome É Tonho disse...

Pele-de-Escama, pelas tuas atitudes anteriores à questão dos Goliaths, eu tava te achando Leal e Neutro.

Me surpreendi bastante quando olhei a ficha e vi que era True Neutral.

Repensando bem, eu acho que as atitudes antes da questão Goliath eram pra um Leal e Neutro ou um Caótico e Bom muito estranho.

Anão Picareta disse...

Bem eu normalmente defino as tendencias das seguintes formas:

Leal: O leal é ordeiro. Tende a seguir regras (leis), ser hoensto e falar a verdade.

Neutro: prefere em geral fazer tudo isso acima enquando for conviente para seus propositos e não atrapalhar.

Caótico: tentde a não seguir regras. Gosta de liberdade e age conforme sua propria vontade. Em geral faz as suas proprias regras de conduta.

Bondoso: age de formma a ajudar e evitar mortes desnecessárias. Tende a evitar conflitos com outras pessoas e entre outras pessoas.

Neutro: meio termo. Age conforme for melhor para a situação. Tanto faz realizar um assassinato a sangue frio, como salvar uma crinça de um incendio, desde que seja útil/interessante para ele.

Maligno: o Vingador de Caverna do Dragão (e em alguns casos a Uni tb).

Bem isso é umresummo do meu ponto de vista das tendencias em D&D.

Anão.

Pele-de-Escama disse...

Bom debate. Tentemos fazer uma análise sem "verdades absolutas" para evitar o problema que aconteceu há cerca de uma ano na campanha que Lucas mestrou (D&D) em que havia um personagem maligno.

Lembremos sempre que a tendência é apenas um comportamento rotineiro e previsível, que a pessoa realiza sem nem se dar conta que faz parte de sua personalidade ou educação. Não é uma obrigação.
Assim, pode-se esperar que alguém Leal e Bom siga as regras, seja honesto etc, mas não quer dizer que seja impossível ele cometer uma "falha de carater". Circunstâncias e induções a erros de interpretação (fazer algo maligno pensando estar fazendo o bem) é relativamente comum. Por isso clérigos e paladinos às vezes ofendem ao seu Deus sem perceber.

Lucas, se puder gostaria que tu citasse alguns exemplos de atitudes que te fizeram acreditar que Zabu era Leal e Neutro. Se concordarmos que eu estou errando, me ajustarei. Este é um dos objetivos, sempre buscar melhorar.

Um exemplo eu sei, que é querer entregar o mago elfo Klaus para ser julgado, em vez de simplesmente acabar com sua vida. Meu argumento: matar é algo novo para Zabu e ele ainda não se acostumou a isso, principalmente a sangue-frio. Não sei se percebeu, mas até o momento ele não matou nenhum monstro que já não estivesse morto!!! (sacou? ahahahah!)

Aguardarei contato.

Pele-de-Escama disse...

Quanto a visão de Diogo, concordamos quase totalmente. Eu lapidaria um pouco o Neutro autêntico de uma forma parecida com o que estou buscando interpretar (e isso pode te ajudar, Lucas, a avaliar se estou agindo bem):

1. Zabu nunca se interessou em fazer muito além do que trabalhar como carpinteiro, ser pago e pagar suas contas, e cuidar da irmã.
2. Tinha um clava grande a tiracolo pra intimidar os caloteiros, mas quase nunca a usou.
3. Quando acontecia qualquer evento digno de aventureiros na cidade, suas ações eram mais ou menos assim (exemplos)

- invasão de assaltantes goblins: procurava sua irmã para protegê-la e se escondia em casa, deixando os guardas ou herois resolverem o problema.
- investigar o desaparecimento de alguém: ajudava como informante, se soubesse de algo.
- disputas de habilidades na feira (lutas, esgrima, combate de pokemons: comprava o ingresso e ia assistir, não participar.

Em suma, pense nele como um cidadão comum, sem grandes aspirações ou objetivos nobres (ou perversos). Suas atitudes serão baseadas naquilo que ele julgar apropriado no momento. Lembre-se: ele só entrou na vida de aventuras por culpa de sua irmã.

Acho que deixei bem explicado. Gostei de ter esmiuçado direitinho esses detalhes, ajudou a criar um vínculo ainda maior com o personagem.

Anão Picareta disse...

só para deixar claro, o que expliquei acima são as "regras" e como tal existem excessões.

Seria apenas o comportamento geral.

Meu Nome É Tonho disse...

Vou ter de ler teus resumos pra lembrar os detalhes (li os comentários e não li os resumos), mas:

1 - Só de ir com os aventureiros elfos na missão pra enfrentar os zumbis, acho que tu ganhava um ponto de caótico e mais um ponto de bom. Caótico por se juntar a um bando de malucos caçadores de zumbis de uma outra raça, bom por querer matar zumbis.

2 - Tu não deixar matarem o mago, querendo que ele tenha um julgamento justo. Mais uns dois pontinhos de leal ou bom aí. Tecnicamente, a vida do cara não era da tua alçada, o povo da raça dele tava lá pra decidir.

3 - A maneira de tu negociar com o prefeito a segunda missão, a maneira de falar com ele, tá mais pra leal que pra neutro. Um neutro tinha tentando negociar a passagem de volta pra casa, e um caótico tinha simplesmente recusado. (inclusive tinha uma trama especial bolada pros dois casos)

Meu Nome É Tonho disse...

Pontuação de tendência de Zabu

2 Leal
1 Bom

:)

Situação pós-encontro com goliaths:

2 Caótico

Anão Picareta disse...

resumo: neutro e bom :D

Pele-de-Escama disse...

Lucas, teus exemplos me ajudaram muito a entender o que te fez pensar que eu não era um Neutro autêntico. Agora tentarei explicar da maneira mais simples que puder:

1. No primeiro exemplo, o motivo para ter aceito a missão dada pelo prefeito sem fazer muitos questionamentos foi só e somente só facilitar a tua vida como mestre. Como assim?

A. Se puxares pela memória, iniciamos a sessão com cerca de uma hora e meia de atraso.

B. Eu não conhecia Ítalo e Wagner, consequentemente não sabia o estilo de jogo deles. Portanto, para evitar que eles me julgassem um monopolizador de tua atenção e um criador de dificuldades, ao priorizar as motivações de meu personagem em detrimento do grupo (não queria que eles ficassem com a impressão de eu ser um mala logo de cara, sabe?), procurei entrar logo na quest principal. Se fosse o nosso grupo habitual, é quase certo que haveria a interação que tu esperava.

Concorda comigo nesse último ponto?

2. No segundo exemplo, o fato de não desejar matar, ou permitir que matem na sua frente, alguém a sangue frio tem mais relação com a crueldade (maldade) do ato que com o fator ordeiro de ser algo contra a lei. Além disso, Zabu não impediu Chaldmyr de matar o elfo: ele opinou e apoiou a decisão de Miroundel. Se ambos tivessem decido matar o mago, Zabu não os impediria.

3. No terceiro caso, Zabu argumentou (não sei se tu lembra - e descrevi no resumo) que agora que tinha encontrado a irmã, a única coisa que ele se sentia na obrigação era reparar o seu erro ao deixar o zumbi gigante vagando a esmo pelas montanhas. Depois voltaria para Rock Seed para sua vidinha pacata. Nesse caso, lembre-se, Zabu acabou aceitando a missão porque Anya disse que participaria da caçada aos goblins de qualquer jeito, e se Zabu quisesse protegê-la teria que acompanhá-la. Simples assim.

"RESUMO: NEUTRO E BOM :D". Muito espirituoso, Diogo!

Quanto ao encontro com o goliath guerreiro na última sessão admito que me desviei consideravelmente da tendência. Falha registrada e jogador trabalhando para evitar que volte a ocorrer.

Se possível, pessoal, digam se ficou esclarecido e debatamos outros assuntos, por exemplo, que tal planejarmos como atacaremos o acampamento goblin? Direto? Furtivos (isso vai ser difícil...)?

Até breve, mantenham contato.

Anão Picareta disse...

bem sobre o ataque:

Temos uma humana guerreira que parece um goliath;
Temos um Goliah guerreiro parece um gigante e tem um martelo do tamanho de um anão;
Temos outro Goliath monge que não tem muita coordenação motora, mas é esperto e tem força;
E temos um carpinteiro.

Resultado: "Eu ataco ele!!!" Pauleira de frente pelo resumo do calculo!!!!

:D

Anão Picareta disse...

aos amigos só para avisar:

dei uma atualizada no meu 4shared em D&D 4th (de acordo com o site a wizard faltam apenas 3 titulos para completar os livros de D&D core suplemment). Nem todos franqueei devido a qualidade.

Breve estarei colocando o Exalted 2th lá tb.

Anão Picareta disse...

Ah galera mais uma coisa:

Aquele escudo do mestre de D$D 4th que eu mostrei p/ vcs está pronto, eu estou vendendo ele. Motivo: achei um em portugues e pretendo monta-lo.
Se alguem tiver interesse está por R$15,00 (o que já fiz em ingles)e eu levo na proxima sessão para mostrar e ver se gostaram.

Anão.

Pele-de-Escama disse...

Ok, Diogo. À tua ideia de ataque direto (em carga de preferência) eu acrescentaria uns berros histéricos para intimidar os inimigos num primeiro momento. Teus goliaths tem Intimidação? Anya tem +7 e Zabu tem +5 (apesar de que não pretendo fazer isso com ele, pois não seria condizente com a personalidade pacata e serena dele ter esse tipo de atitude - para Anya seria normal: no histórico que fiz para ela várias vezes ela agiu exatamente dessa forma).

Quanto ao escudo, tenho pouco interesse porque ainda não consegui ser cativado pela 4ª edição. Mas quendo tu mestrares podes contar comigo como jogador!

Mais uma coisa, se tiverem interesse em vender uns dois a quatro d10, tenho interesse. Meus velhos dados estão muito detonados.

Pele-de-Escama disse...

Só pra avisar quem não estiver ciente: hoje na Tela Quente vai passar o filme O Pacto (Covenant) que me parece ser algo parecido com Mago a Ascensão. Fiquei curioso e pretendo assitir.

Lembrem de confirmar a possibilidade de jogo até sexta-feira à tarde. Valeu!

Anão Picareta disse...

ok.
acabei de pegar um livro só de pequenas aventuras para D&D 4th, alem de uma propria que bolei. Se voces quiserem podemos marcar para fazer uma one-shot ou uma aventura curta (com gancho de campanha) para ambientar que ainda não jogou. Como falei eu achei a 4th ótima, o único problema grave são os combates muito longos, mas já bolei uma maneira de resolver ;)

Hugo Leonardo disse...

Sobre meu comentário anterior, só Lucas respondeu. Será que Diogo tá com medo de Janaíse ler o blog? Se estiver pode apagar meu comment. Agora to no Rio com um dos colegas de grupo de João Marcílio e Ney Victor, só vejo mulata aqui.
Quem tiver tempo dê uma olhada no meu twitter http://twitter.com/huguitow
sempre estarei atualizando
beijundas procês

Anão Picareta disse...

na realidade não respondi pq não vi necessidade :).

Não uso twitter por isso fica dificil acompanhar :)

Bem sobre o rio, sinceramente prefiro mulatas mesmo em relação a loiras, como tu pode ter visto Hugo, acho que deu p/ enternder por que loiras não me chamam mais tanta atenção :P

Pele-de-Escama disse...

Saudações cordiais, camaradas.

Conversando com Patrícia, concordamos que a próxima sessão tem que ocorrer com a presença de Diogo. Isto quer dizer que caso ele não possa comparecer no próximo sábado, 14.11, é melhor adiarmos para o seguinte, torcendo para que ele não fique impedido também.

Naturalmente dependerá também da disponibilidade de Lucas. Quanto a mim e Patrícia, até o momento não surgiu nenhum impedimento ou atrapalho. Caso apareça alguma novidade entrarei em contato por telefone e pelo blog avisando.

PARA NÃO RESTAR DÚVIDAS, SE EU NÃO ENTRAR EM CONTATO COM VOCÊS INFORMANDO ALGO DIFERENTE, ESTOU CONFIRMADO PARA A SESSÃO DE SÁBADO, 14.11!

Aguardarei a confirmação de vocês, pelo blog ou por telefone.

Tudo de bom.

Meu Nome É Tonho disse...

Eu ia realmente sugerir adiar até Diogo poder jogar, estava pensando a argumentação... Mas já que vocês pensaram também, por mim tá OK.

E, se Diogo puder esse sábado, estamos lá.

Pele-de-Escama disse...

Ok, Lucas, então já estou considerando que estarás no Paço no sábado 14. Durante a semana, caso tu não tenhas condições de acompanhar a net, aguardarei pela confirmação de Diogo e caso ele NÃO possa comparecer eu te ligo.

Bom, quanto ao debate sobre a tendência, consegui deixar claras as atitudes de Zabu como "neutro autêntico" ou tu ainda acha que é necessário um melhor ajuste? Se for o caso, dê uns conselhos.

Lembre-se que reconheci minha falha na última sessão.

Anão Picareta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Meu Nome É Tonho disse...

Diogo ressuscitou Juiz Dredd do inferno...

Pele-de-Escama, o personagem é teu, você decide a tendência dele daqui pra frente, seja Neutro ou Leal e Neutro! Porém, todavia, contudo e entretanto, uma vez escolhida a tendência, fique com ela (talvez alguns elementos das aventuras dependam da tendência).

Pele-de-Escama disse...

Hail!

Judge Dredd é mesmo a epítome do leal e neutro!

Lucas, apenas imaginei que talvez tu quisesses dar algum conselho extra no caso de não ter concordado, mas fique tranquilo: me esforçarei para continuar neutro autêntico.

Assim, desde já te adiantarei os próximos passos de Zabu para que você desde já saiba o que esperar dele e planejar as próximas aventuras:

1. Concluída a missão com os goblins da Tribo dos Chifres Sangrentos, Zabu se dedicará exclusivamente ao resgate do corpo de Anna Varee, independente do tempo que leve. Durante esse período, Zabu sugerirá duas linhas de ação que poderão ser escolhidas pelos outros integrantes do grupo:

A. Notando que Anya não é mais a garotinha frágil e indefesa que ele fantasiava em sua superproteção, ele pedirá que ela acompanhe o guerreiro goliath até Aengmar para concluir a transação comercial que o goliath pretendia realizar;

B. Pedirá que o(s) goliath(s) ajudem no resgate, pois será de grande ajuda a força física extra deles na labuta.

2. Concluído o resgate, ele pedirá a Anya e ao(s) goliath(s) que o ajudem a perseguir o zumbi gigante que ele deixou escapar nas montanhas Ravina doss Trovões.

3. Concluída esta missão (e ele se concentrará apenas nela, mesmo que surjam outras no meio do caminho), ele desejará retornar a Rock Seed para voltar à sua pacata vida de carpinteiro. Tentará convecer Anya a voltar com ele para casa. A partir daí, duas possibilidades:

A. Se ela aceitar, podes considerar os personagens temporariamente aposentados da vida de aventuras;

B. Se não aceitar, ele vai se resignar e continuar na vida de aventuras, pois Anya é a única família que lhe resta e ele jurou a mãe dos dois que nunca deixaria que nada de mal acontecesse a ela (essa é a origem da superproteção em relação a irmã).

Caras, detalhar dessa forma o personagem me dá muito prazer. Cada vez sinto um vínculo maior e grande satisfação em jogar com ele. Gostaria que todos vocês conseguissem algum dia sentir isso por algum personagem.

Se quiserem falar alguma coisa sobre este comentário, agradeceria a opinião de vocês.

Pele-de-Escama disse...

Da listinha feita por Diogo devo dizer que concordo com todos os exemplos (PRINCIPALMENTE COM JUDGE DREDD!). Pra entrar na brincadeira resolvi fazer uma listinha também, vamos ver se concordam:

Leal e Bom: Homem-Aranha
Leal e Neutro: Batman
Leal e Mal: Doutor Destino
Neutro e Bom: Mulher Maravilha
Neutro: Hulk clássico
Neutro e Mal: Mefisto
Caótico e Bom: Wolverine
Caótico e Neutro: Fênix Negra
Caótico e Mal: Omega Vermelho

Putz, tentei fazer uma lista legal mas a memória falhou, são tantos personagens de tantas mídias que foi difícil escolher.

Anão Picareta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anão Picareta disse...

Buenas
1° sobre sab. infelizmente só posso dar uma posição na que sexta feira, ou belo bem geral da nação (e saciamento do vicio :P) mesmo que tenha expediente eu não compareça e passe a bola para outro (para isso terei que verificar minhas finanças).

2° acho que se lucas me der mais informações sobre a região eu tenho como fazer um back completo dos Goliaths com relações com outros povos, politica, habitos e etc. Acho que SE Lucas optar por realmente inserir Goliaths seria bem interessante.

3° sobre tendencias (ainda). Vamos resumir assim (acho que fica legal):

Leal e bom: Capitão América.
Leal e neutro: Juiz Dreed.
Leal e mau: Dath Vader.
Neutro e bom: batman
Neutro e Neutro: constantine
Neutro e mal: Dr. Octopus.
Caotico e bom: Robin Hood
Caotico e neutro: jack sparrow.
Caótico e mal: Coringa

Lucas outra coisa: Tava vendo umas coisas(brechas nas regras, mas queria saber se tu deixa). Vi que armas exoticas podem ser empunhadas com 2 mães sem necessidade de talendo e que com talento podem ser empunhadas com uma mão (ex. espada bastarda e machado anão). Então se eu adquirir o talendo lutar com arma exotica GreatHammer goliah eu posso usar ele om uma mão?

Outra coisa: estava lendo e se não me engano a tradução de Great Hammer é maça pesada. Se for isso mesmo eu errei na descrição da arma. Maças são feitas totalmente de metal, incluindo o cabo, então seria impossivel o cabo do greathammer ser de madeira como citado (tb pela logica e uma arma feita por anões ter partes de madeira...)

Pele-de-Escama disse...

Antes de tudo: é MaU e não MaL. Quando escrevia eu tava com uma impressão esquisita mas não conseguia identificar o motivo...

Diogo, dentre teus exemplos eu discordo apenas em relação ao Batman. Pra mim ele fica no fio de navalha entre Leal e Bom e Leal e Neutro, e inicialmente eu havia pensado nele junto ao Homem-Aranha. Leal (ordeiro) por ser metódico, organizado, estrategista, manter-se fiel aos próprios princípios; Neutro por usar artifícios inteligentes (e nem sempre honrados) para obter sucesso em suas missões (cinto de utilidades com gás, escutas, armas de choque, kriptonita; atacar furtivamente; nunca matar, mas ninguém falou que o bandido precisa chegar "inteiro" à prisão:D)

Anão Picareta disse...

pois é eu comecei certo e terminei escrevendo errado :( bolas p/ frente :).

Na realidade eu coloquei o batman como neutro por ele não seguir regras, a não ser que sejam úteis para ele (afinal quantas regras/leis ele não quebra para atingir seus objetivos?) e o bom eu fiquei na duvida mesmo :D

Pele-de-Escama disse...

Com certeza! Batman passa por cima de várias leis (como visto no filme The Dark Knight, o comissário Gordon (se não me engano) dizendo: "Hong Kong está fora de nossa jurisdição, mas o Batman não está preso a isso"), por isso, o aspecto ordeiro dele se observa justamente na sua personalidade, não no modus-operandi.

Diogo, alguma possibilidade de Siddartha jogar nesse sábado? Acho que seria fácil de encaixá-lo no grupo (ele poderia ser prisioneiro dos goblins, ou talvez um heroi com pendências a resolver com esses monstros e que acaba cruzando com nosso grupo. Solitário, ele avalia que terá mais chances se lutar ao lado de nosso grupo).

Anão Picareta disse...

Bem ele disse que possibilidade há, porem depende de não ter expediente no sab (como no meu caso).

Se bem que queria saber a possibilidade de adiantar a sessão para as 13h pois assim aproveitariamos mais a sessão.

Pele-de-Escama disse...

Adiantar a sessão é algo que sempre gosto de reforçar. O fato de estarmos começando às 14h é porque desde a primeira sessão foi o horário estabelecido por Lucas, talvez as atividades que ele desempenha nas manhãs de sábado torne difícil que chegue mais cedo.

Para Patrícia e eu o inconveniente seria apenas o tempo apertado para almoçarmos, pois em média saímos do serviço às 12h30, mas sem dúvida este é um problema muito pequeno se compararmos com as vantagens de começarmos mais cedo o jogo.

Anão Picareta disse...

Caros,
venho informa que neste sab terá expediente extra.

Contudo, eu vou jogar, então peço encarecidamente que confirmem presença (afinal vou deixar de ganhar $$$ para saciar o vicio :P).

Tb gostaria de questionar mais uma vez de começar as 13h a sessão desse final de semana.

Adianto tb que como terá expediente nesse sabado e eu vou jogar, isso implica que Sid não poderá jogar nesse sabado, e meio que todos os sabados atá o fim do ano se eu jogar ele não poderá jogar (afinal alguem tem que vir trabalhar :D).

Anão.

Pele-de-Escama disse...

Agradeço muito por tua dedicação ao hobby, Diogo, é entusiasmante nesses dias difíceis que passamos.

Reafirmo minha presença no Paço no próximo sábado, 14, por volta das 13h.

Meu Nome É Tonho disse...

Façamos o seguinte... Começamos 13:30?

Mais cedo que isso Patrícia e Ângelo não tem tempo de almoçar.

Ps.: Vou começar 13:30 mesmo, se não tiverem lá vão entrar no meio da história :)

Pele-de-Escama disse...

Tá tranquilo, Lucas!

Mas se já estivermos em condições de jogar antes das 13h30, tu começa mais cedo? Eita, vício... ;)

Pele-de-Escama disse...

Lucas, espero que tu possas responder...

Leu com atenção meu comentário acima onde descrevi as futuras ações de Zabu? Pergunto apenas pra que eu não seja induzido a erro caso tu coloque alguma quest "irrecusável" no caminho (e só reforçando a resposta se isso acontecer: não me envolverei em nenhuma missão enquanto não resgatar o corpo de Anna Varee)

Follow the New World Order

Follow the New World Order
Follow the New World Order